Turismo em favelas: notas etnográficas sobre um debate em curso

  • Camila Moraes Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Turismo, Favelas, Discursos, Rio de Janeiro

Resumo

As favelas do Rio de Janeiro têm sido alvo de intensa visitação turística desde os anos 2000. Se antes esse turismo se concentrava na Rocinha, paradigmática favela turística, hoje expande-se para outras favelas da cidade, e tal expansão vem acompanhada da ampliação do debate sobre esse tipo específico de turismo. Neste artigo, analiso três eventos de disputa em torno do tema “turismo em favelas”, ocorridos entre 2014 e 2015: a série de debates “Fala Vidigal!”; o I Congresso de Turismo de Base Comunitária da Rocinha; e o Grupo de Trabalho (GT) sobre Turismo em Favelas na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Os três eventos se apresentaram como interessantes cenários para observação participante e análise dos discursos sobre turismo em favela, tanto por parte da academia, como também por parte de empreendedores externos, empreendedores locais, moradores de favelas e órgãos públicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Moraes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Professora Assistente do Departamento de Turismo e Patrimônio (UNIRIO), doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (CPDOC/FGV-RJ) e coordenadora do Observatório do Turismo em Favelas (UNIRIO).
Publicado
2016-12-31
Como Citar
Moraes, C. (2016). Turismo em favelas: notas etnográficas sobre um debate em curso. Plural - Revista De Ciências Sociais, 23(2), 65-93. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2016.125110