O espaço jurídico em fins do século XIX

O Supremo Tribunal Federal e as Faculdades de Direito

  • Rodrigo da Rosa Bordignon Universidade Federal de Santa Catarina
  • Treicy Giovanella Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Faculdades de Direito, Supremo Tribunal Federal, Origens Sociais, Carreiras

Resumo

O presente artigo focaliza as bases sociais e as carreiras dos ministros do Supremo Tribunal Federal e dos professores das faculdades de direito em fins do século XIX, buscando analisar as relações entre estes e o espaço social em geral. No caso dos professores, foram tomados os da Faculdade de Direito de Recife, da Faculdade de Direito de São Paulo, da Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro, e da Faculdade Livre de Direito do Rio de Janeiro. A partir disso, foi possível reunir informações sobre 96 agentes com o objetivo de comparar as origens sociais, as instituições de titulação, os postos iniciais e os marcadores das carreiras. Em termos gerais, os principais resultados apontam para uma aproximação entre as origens sociais e uma diferenciação na constituição das carreiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo da Rosa Bordignon, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política – UFSC

Treicy Giovanella, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda no Programa da Pós-Graduação em Sociologia e Ciência Política — UFSC. E-mail: treicy.gs@gmail.com.

Referências

Adorno, Sérgio. Os aprendizes do poder: bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

AlmanakAdministrativo, Mercantile Industrialdo Rio de Janeiro, 1844-1910. Disponível em:<http://bndigital.bn.br/acervo-digital/almanak-administrativo-mercantil-industrial-rio-janeiro/313394>. Acesso em 26 out 2019.

Badie, Bertrand. L’État importé: L’occidentalisation de l’ordre politique. Paris : Fayard, 1992.

Barbosa, Rui. “O Supremo Tribunal Federal na Constituição Brasileira”. In: Fundação Casa de Rui Barbosa (organização e seleção de textos). Pensamento e ação de Rui Barbosa. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, p. 157-256, 1999.

Bordignon, Rodrigo da Rosa. As faculdades de direito e o recrutamento de professores de ensino superior na Primeira República. Revista Sociedade e Estado, v. 32, n. 3, p. 749-768, 2017.

Bourdieu, Pierre. La noblesse d’État: grandes écoles et espirit de corps. Paris: Les Editions de Minuit, 1989.

Bourdieu, Pierre. De la maison du roi à la raison d’État: un modèle de la genèse du champ bureaucratique. Actes de la recherche en sciences sociales, v. 118, p. 55-68, 1997.

Bourdieu, Pierre. “A força do direito: elementos para uma sociologia do campo jurídico”. In: Bourdieu, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 2007, p. 209 254.

Bourdieu, Pierre. Champ du pouvoir et division du travail de domination. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, n. 190, p. 126-139, 2011.

Bourdieu, Pierre. Sur l’État: cours au Collège de France, 1989-1992. Paris : Seuil, 2012.

Bourdieu, Pierre; Christin, Olivier; Will, Pierre-Etienne. Sur la science de l’État. Actes de la recherche en sciences sociales, v. 133, p. 3-11, 2000.

Brasíl. Coleção das Leis e Decisões do Império do Brasil, 1870-1889. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1870-1889.

Brasíl. Decretos do Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil, 1889-1890. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1890-1895.

Brasíl. Coleção de Leis da República dos Estados Unidos do Brasil, 1891-1900. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1892-1903.

Brasíl. O Supremo Tribunal Federal. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1976.

Carvalho, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro de Sombras: a política imperial. 4a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

Charle, Christophe. Intellectuels, Bildungsburgertum et professions au XIXème siècle: essai de balian historiographique comparé (France, Allemagne). Actes de la recherche en sciences sociales, v. 106-107, p. 85-95, março 1995.

Charle, Christophe. La bourgeoisie de robe em France au XIXe siècle. Le mouvement social, n. 181, p. 53-72, 1998.

Engelmann, Fabiano. Diversificação do espaço jurídico e lutas pela definição do direito no Rio Grande do Sul. Tese de doutorado apresentada ao PPGCP/UFRGS. Porto Alegre, 2004.

Engelmann, Fabiano. “Em torno do poder”: ciência e instituições políticas. In: Grill, Igor; Seidl, Ernesto. As ciências sociais e os espaços da política. Rio de Janeiro: FGV, p. 1-26, 2013.

Engelmann, Fabiano; Penna, Luciana. Política na forma da lei: o espaço dos constitucionalistas no Brasil democrático. Lua Nova, v. 92, p. 177-206, 2014.

Karady, Victor. Une “nation de juristes”: Des usages sociaux de la formation juridique dans la Hongrie d’Ancien Regime. Actes de la recherche en sciences sociales, n° 86-87, p. 106-124, Paris, 1991.

Koerner, Andrei. Poder Judiciário Federal no sistema Político da Primeira República. Revista USP, São Paulo, v. 21, p. 58-69, 1994.

Koerner, Andrei. Judiciário e cidadania na constituição da República Brasileira (1841-1920). Curitiba: Juruá, 2010.

Lacroix, Bernard. “Ordre Politique et ordre social: objetivisme, objetivation et analyse politique.” In: Grawitz, Madeleine; Leca, Jean (dir.). Traité de Science Politique: L’ordre politique. Vol. 1. Paris : Presses Universitaires de France, 1985. p. 469-565.

Lenoir, Remi. “Du droit au champ juridique”. In: Pinto, Louis; Sapiro, Gisèle; Champagne, Patrick. Pierre Bourdieu, sociologue. Paris: Fayard, 2004, p. 231-253.

Mathias, Carlos Fernando. Notas para uma história do Judiciário no Brasil. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2009.

Oliveira, Maria Ângela Jardim de Santa Cruz. Sobre a Recusa de Nomeações Para o Supremo Tribunal pelo Senado. Revista do Direito Público. v. 6, n. 25, p. 68-78, 2009.

Sadek, Maria Tereza. “A organização do Poder Judiciário no Brasil”. In: ___ (org.). Uma introdução ao Estudo da Justiça. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, p. 232-265, 2010.

Simões, Teotônio. Os bacharéis na política, a política dos bacharéis. Tese de doutorado apresentada ao Departamento de Ciências Sociais/USP. São Paulo, [1983] 2006.

Vauchez, Antoine. “Le pouvoir judiciaire”. In: Cohen, Antonin; Lacroix, Bernard; Riutort, Philippe. Nouveau manuel de science politique. Paris: La Découverte, 2009, p. 242-255.

Weber, Max. Economia e Sociedade. Vol. 2. Brasilia: Editora da UNB. São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.

Publicado
2019-12-23
Como Citar
Bordignon, R., & Giovanella, T. (2019). O espaço jurídico em fins do século XIX. Plural - Revista De Ciências Sociais, 26(2), 31-48. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2019.165671
Seção
Dossiê: "Campo jurídico e política"