A organização da alma: Elias e Foucault sobre a disciplina e o eu, de Robert Van Krieken

  • Anamaria Cristina Schindler Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Elias, Foucault, Weber, disciplina, processo civilizatório, poder disciplinar, burocracia

Resumo

O autor aborda o debate recente sobre o conceito de disciplina, a partir das obras de Foucault e Elias. Remete-as à noção weberiana de "gaiola de ferro", ressaltando o desenvolvimento que ambos fizeram em direção ao processo de disciplinarização dos indivíduos. É comum aos três pensadores a visão de uma tendência crescente à autodisciplina nas sociedades cada vez mais racionalizadas, mas há distinções de ênfase. Enquanto para Weber o mais importante são as mudanças sociais e políticas, Elias enfatiza as mudanças nas interdependências humanas e na estrutura da conduta, e Foucault insiste na capacidade do poder disciplinar em "libertar" a energia psíquica e libidinal de modo a aproximá-las dos interesses da economia capitalista. O artigo continua abordando as distintas visões dos autores em relação à Idade Média e do "processo civilizatório". Ao Final, levanta questões que deixaram de ser respondidas pelos três

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anamaria Cristina Schindler, Universidade de São Paulo
Mestre e Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociologia FFLCH-USP e Pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência.
Publicado
1996-11-25
Como Citar
Schindler, A. (1996). A organização da alma: Elias e Foucault sobre a disciplina e o eu, de Robert Van Krieken. Plural, 3, 153-180. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.1996.68034
Edição
Seção
Traduções