Prolegômenos de Florestan Fernandes como teórico crítico da sociedade brasileira

  • Ricardo Ramos Shiota Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Florestan Fernandes, interpretação do Brasil, teoria crítica

Resumo

Apesar das diferentes interpretações da obra de Florestan Fernandes, as quais representam imagens distintas e até contraditórias, este artigo defende a pertinência de concebê-lo como um teórico crítico da sociedade brasileira. O estudo compreende o projeto crítico em um sentido mais amplo do que aquele concebido pelos intelectuais frankfurtianos, como um compromisso com as condições histórico-sociais emancipatórias, por meio da elaboração de diagnósticos de época, para uma práxis emancipatória. Sob essa perspectiva, é possível identificar o autor como pertencente ao campo crítico, desde seus primeiros trabalhos, nos decênios de 1940 e 1950

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Ramos Shiota, Universidade Estadual de Campinas

Mestre em Ciências Sociais pela Unesp/FFC e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Unicamp/Ifc h.

Publicado
2012-06-01
Como Citar
Shiota, R. (2012). Prolegômenos de Florestan Fernandes como teórico crítico da sociedade brasileira. Plural, 19(1), 9-32. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2012.74449
Seção
Artigos