Trabalho e Amor: Uma leitura sócio-ontológica de O Pequeno Príncipe, de Antoine Saint-Exupéry

Autores

  • Giovanni Alves Universidade Estadual Paulista
  • Luciene Maria de Souza Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2007.75464

Palavras-chave:

capitalismo, trabalho, amor, cotidiano, subjetividade.

Resumo

Nosso objetivo é apreender, por meio da análise crítica da seção XXI do romance alegórico O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry, elementos de uma ontologia do ser social baseada na categoria de Amor como determinação refle-xiva, no plano da subjetividade pessoal, da categoria do Trabalho, posta por Lukács como elemento categorial central da sociabilidade humana. Por meio da análise crítica do conto de Saint-Exupéry iremos tratar de uma crítica da cotidian idade do capital e de sua pseudo-concreticidade, além de sugerir elemen-tos do que seria uma biopolitica do amor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovanni Alves, Universidade Estadual Paulista

Livre docente em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista

Luciene Maria de Souza, Universidade Federal de Uberlândia

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia

Downloads

Publicado

2007-12-01

Como Citar

Alves, G., & Souza, L. M. de. (2007). Trabalho e Amor: Uma leitura sócio-ontológica de O Pequeno Príncipe, de Antoine Saint-Exupéry. Plural - Revista De Ciências Sociais, 14, 103-118. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2007.75464

Edição

Seção

Artigos