Continuidade, ruptura ou o quê? Repensando interpretações sobre a urbanização paulistana de fins do XIX

  • Fraya Frehse Universidade de São Paulo
Palavras-chave: São Paulo (cidade), urbanização (história), século XIX, historicidade, significação.

Resumo

Com base em considerações de Claude Lévi-Strauss sobre a categoria de historicidade, cabe analisar interpretações sobre a urbanização paulistana de fins do século XIX. Trata-se de um contexto que instiga o pensamento social pela aparente linearidade do seu desenvolvimento histórico, em meio à instensidade das mudanças socioeconômicas, demográficas, físicas e urbanísticas em curso na cidade sobretudo a partir dos anos 1870, no bojo da prosperidade crescente das exportações cafeeiras paulistas e da crise final da escravidão no país. O que cada estudioso ressaltará, quanto à linearidade do processo, depende eminentemente da "significação" que tais ou quais propriedade do universo em questão terão para ele, inserido que está em um "sistema de referências" definido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fraya Frehse, Universidade de São Paulo

Mestre e dutoranda em Antropologia Social na USP; bolsista FAPESP e pesquisadora do Núcleo de Antropologia Urbana da USP

Publicado
2001-12-01
Como Citar
Frehse, F. (2001). Continuidade, ruptura ou o quê? Repensando interpretações sobre a urbanização paulistana de fins do XIX. Plural, 8, 87-120. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2001.75750
Edição
Seção
Artigos