O caso do portão: análise de um conflito violento entre trabalhadores pobres

  • Antônio Roberto Bonato Garcez Universidade de São Paulo
Palavras-chave: trabalhadores pobres urbanos, violência, crime, cotidiano, luta.

Resumo

 Pela análise de um processo de homicídio, cujos personagens são trabalhadores pobres urbanos, o artigo pretende demonstrar que os conflitos e eventos violentos cotidianos desses trabalhadores surgem de diferentes dinâmicas societárias, envolvendo a cooperação, a competição, a estrutura de sentimentos existente entre eles. Propõe-se, portanto , diferenciar os fenômenos da violência e do crime, superando, porém , a dificuldade que se apresenta ao olhar sociológico em considerar como "crimes" eventos semelhantes aos relatados pelo processo analisado. A razão disso é que eles conformam um tipo especifico de conflito violento por estarem contidos no interior de relacionamentos relevantes na sociabilidade cotidiana das classes trabalhadoras urbanas, assim como se referem aos modo s de vida desses trabalhadores. Busca-se, desse modo, "compreender" a violência relatada nos autos como momentos radicais da "luta" daqueles trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Roberto Bonato Garcez, Universidade de São Paulo
Mestre em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, em 1998.
Publicado
2002-03-06
Como Citar
Garcez, A. R. (2002). O caso do portão: análise de um conflito violento entre trabalhadores pobres. Plural, 9, 25-42. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2002.75763
Edição
Seção
Artigos