Redes de dominação e conflitos no campo: uma problematização da análise sobre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST)

  • Wagner Venceslau Dias Universidade de São Paulo
Palavras-chave: redes de dominação, paternalismo, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, conflitos rurais, movimentos camponeses, mediadores.

Resumo

O objetivo deste texto é adequar a noção de redes de dominação às formas de sujeição dos camponeses ao modo de organização política e social da estrutura fundiária no Brasil. Para isso, serão repassados aspectos de trabalhos de alguns pensadores destas realidades históricas, em suas mais diferentes formas, seguindo um percurso dentro da história brasileira, chegando à atual posição de luta pela tera e da chamada Reforma Agrária, proposta pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). Portanto, pretende-se entender a rede que amarra ou disciplina as lutas sociais no campo, mesmo quando ela aparece de maneira mais moderna e eficaz; procurar-se-á evidenciar questões políticas postas em jogo, como as da mediação, partidarização e sindicalização no campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Venceslau Dias, Universidade de São Paulo
PPGS-FFLCH-USP
Publicado
1997-06-04
Como Citar
Dias, W. (1997). Redes de dominação e conflitos no campo: uma problematização da análise sobre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). Plural, 4(1), 107-124. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.1997.75899
Seção
Artigos