Ocupar, mediar e ressignificar a imagem da cidade

Palavras-chave: Imagem mobile. Cidade participativa. Instagram. Paisagem urbana.

Resumo

A inauguração da ciclovia Av. Paulista e o fechamento das pistas de veículos, aos domingos, para uso exclusivo do pedestre transformaram a avenida ícone da cidade em mais um espaço ressignificado pelo seu uso temporário. A partir desse exemplo de acontecimento coletivo, relacionaremos a experiência do pedestre ou ciclista e a produção de imagens da paisagem urbana feita com dispositivos móveis, as câmeras de celular. O enfoque principal será verificar como se dá a apreensão estética das coisas urbanas, por meio da produção, mediação e veiculação de imagens nas redes sociais – especificamente no Instagram – e em que medida a superprodução de imagens, motivadas a partir de um evento, e a estetização do cotidiano possibilitam a produção de novas poéticas e novos vínculos com a cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASTOS, Marcus. Mapeamento incompleto de algumas geografias celulares. Geografias Celulares. Catálogo. Espacio Fundación Telefónica, Buenos Aires, 2010.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2001.

BEIGUELMAN, Giselle. Arte pós-virtual: criação e agenciamento no tempo da internet das coisas e da próxima natureza. Cyber-arte-cultura – A trama das redes. Seminários Internacionais Museu Vale 2013, Vila Velha, 2013, p. 147-171.

BEIGUELMAN, Giselle; LA FERLA, Jorge. Nomadismos tecnológicos. São Paulo: Senac, 2011.

BOURRIAUD, Nicolas. Radicante. Por uma Estética da Globalização. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BRISSAC, Nelson. Ver do meio – como mato que cresce entre as pedras. Disponível em: http://iconica.com.br/. Acesso em: jun. 2015.

CARERI, Francesco. Walkscapes: Walking as an Aesthetic Practice. Barcelona: Gustavo Gili, 2002.

COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte. Da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

DEBORD, Guy. Théorie de la dérive. Internationale Situationniste, Paris, n. 2, 1958.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1996.

HARVEY, David. Rebel Cities: From the Right to the City to the Urban Revolution. Londres: Verso, 2012.

HARVEY, David. The Crisis of Planetary Urbanization. Disponível em: http://post.at.moma.org/content_items/520-the-crisis-of-planetary-urbanization. Acesso em: maio 2015.

Instagram. Disponível em: https://www.instagram.com/about/us/. Acesso em: outubro 2015.

PRATA, Didiana. Imageria e poéticas de representação da paisagem urbana nas redes. DOI: https://doi.org/10.11606/D.16.2017.tde-16022017-095419.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Editora 34, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto , 2013.

SOLÀ-MORALES, Manuel de. De coisas urbanas. Barcelona: Gustavo Gili, 2008.

Publicado
2017-12-18
Como Citar
Prata, D. (2017). Ocupar, mediar e ressignificar a imagem da cidade. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 24(44), 28-42. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v24i44p28-42
Seção
Artigos