Arquitetura, acervo e público no museu contemporâneo

Palavras-chave: Museu (arquitetura). Tecnologia da comunicação. Exposições museológicas. Museografia.

Resumo

A análise do processo de transformação do espaço do museu a partir da ampla utilização de recursos tecnológicos, cenográficos e interativos, garantindo a aproximação do grande público a partir de artifícios como projeções, vídeos e terminais multimídia, consiste no objetivo principal deste artigo. Dentro desse contexto, três exemplos significativos são trazidos para subsidiar as reflexões propostas: o Museu da Língua Portuguesa (São Paulo, 2006), o Museu do Futebol (São Paulo, 2008) e o Museu do Cinema (Turim, 2000). Os casos escolhidos foram considerados como representativos da utilização de tecnologia expográfica para o tratamento de temas imateriais. A grande difusão dos recursos cenográficos e interativos abre novas possibilidades no âmbito da preservação patrimonial, levando a um processo de desmaterialização do acervo e estabelecendo novas relações entre público e espaço arquitetônico. Nesse sentido, busca-se responder às seguintes perguntas: que possibilidades surgem a partir da relação entre público, espaço e novas tecnologias? É possível pensar na formação de um campo de experimentação artística autônomo? Qual o papel da arquitetura nesse contexto? Deste modo, o artigo se estruturará a partir dos enfoques: arquitetura, acervo e público, visando à compreensão das novas questões que se colocam para os museus na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Tradução Gabriel Valladão Silva. Porto Alegre: L&PM, 2013. 160 p.

CAMPAGNONI, Donata Pesenti e PACINI, Nicoletta. Il Museo Nazionale de Cinema. Torino: Umberto Allemandi & C., 2008. 80 p.

CASTELLS, Manuel. A era da intercomunicação. 2006. Disponível em: http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id1915. Acesso em: 20 maio 2013.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Tradução Roneide Venâncio Majer e Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 2011a. 698 p.

CASTELLS, Manuel. Museus na era da informação: conectores culturais de tempo e espaço. Revista Musas, Brasília, ano VII, n.5, 2011b, p. 8-21. Disponível em: http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2015/01/Revista-Musas-5.pdf. Acesso em: 05 out. 2015.

DAVALLON, Jean. Comunicação e sociedade: pensar a concepção da exposição. In: BENCHERIT, Sarah Fassa; BEZERRA, Rafael Zamorano e MAGALHÃES, Aline Montenegro (Org.). Museus e comunicação: exposições como objeto de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010. p. 21-34.

GHIRARDO, Diane. Arquitetura contemporânea: uma história concisa. Tradução Maria Beatriz de Medina. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2009. 304 p.

GOVERNO de São Paulo assina convênio para reerguer Museu da Língua Portuguesa. São Paulo, G1 S. Paulo, 21 jan. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/01/governo-de-sp-assina-convenio-para-reerguer-museu-da-lingua-portuguesa.html. Acesso em: 03 fev. 2016.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Tradução Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2013. 348 p.

HERREMAN, Yani. Museum Design: a History of Conflict. The International Council of Museums Magazine, v. 56, n. 3, 2003. Disponível em: icom.museum/fileadmin/user_upload/pdf/ICOM_News/2003-3/ENG/p3_2003-3.pdf. Acesso em: 15 jan. 2016.

KOOLHAAS, Rem. Junkspace. In: SYKES, A. Krista (Org). O campo ampliado da arquitetura: antologia teórica 1993-2009. Tradução Denise Bottmann. São Paulo: Cosac Naify, 2013. p. 104-117.

LAPA, Rodrigo Amaral. As transformações dos museus contemporâneos influenciadas pelas TIC´s. 2011. 196 f. Tese (Mestrado) - Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011.

LÈVY, Pierre. O que é o virtual? Tradução Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 2007. 160 p.

LÈVY, Pierre. Cibercultura. Tradução Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 2011. 272 p.

MALRAUX, André. O museu imaginário. Tradução Isabel Saint-Aubyn. Lisboa: Edições 70, 2000. 247 p.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. O museu e o problema do conhecimento. In: IV Seminário sobre museus-casas: Pesquisa e Documentação, 2002, Rio de Janeiro. Anais do IV Seminário sobre Museus-casas: Pesquisa e Documentação. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa; 2000. p. 17-48. Disponível em: http://docslide.com.br/education/o-museu-e-o-problema-do-conhecimento.html. Acesso em: 13 jan. 2016.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. O museu na era do virtual. In: BITTENCOURT, J. N. (Org.). Seminário internacional de Museus, Ciência e Tecnologia. Rio de Janeiro: 2007. p. 49-69.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Museu virtual: é o museu do futuro? São Paulo: 2009. p. 56-57.

MUSEO Nazionale del Cinema. Turim, 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2015.

MUSEU da Língua Portuguesa. São Paulo, 2006. Disponível em: www.museudalinguaportuguesa.org.br. Acesso em: 20 out. 2015.

MUSEU do Futebol. São Paulo, 2008. Disponível em: www.museudofutebol.org.br. Acesso em: 20 out. 2015.

PARRY, Ross. Museums in digital age. Londres: Routledge, 2009. 496 p.

PRADO, Carolina. São Paulo, Folha de S. Paulo, 21 dez. 2015. Atingido por incêndio, Museu da Língua Portuguesa tem cópias digitais de acervo. Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/12/incendio-atinge-museu-da-lingua-portuguesa-em-sp-dizem-bombeiros.html. Acesso em: 07 jan. 2016.

OBSERVATÓRIO DE TURISMO E EVENTOS. Levantamento sobre a Visitação de Museus em São Paulo. 2014. Disponível em: http://spturis.com/v7/noticia.php?id=618. Acesso em: 15 jan. 2016.

TZORTZI, Kali. Building meaning: how architecture affects our experience of museums. The International Council of Museums Magazine, v. 68, n. 2, p. 10-11, set. 2015. Disponível em: icom.museum/media/icom-news-magazine/icom-news-2015-no2. Acesso em 18 jan. 2016.

URURAHY, Heloisa Pinto. Museus na internet no século XXI: a caminho do museu ubíquo. 133 f. Tese (Mestrado) - Museu de Arte Contemporânea, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

UNESCO. Carta sobre la preservación del patrimonio digital, 2003. Paris: 2003. Disponível em: 132.248.35.1/cultura/informe/informe%20mund2/Capi11.thm. Acesso em: 02 jan. 2016.

VAVASSORI, Massimiliano et. al. Dossier musei 2009. Touring Club Italiano, Centro Studi TCI. jun. 2009. p. 10. Disponível em: www.touringclub.it/pubblicato-il-dossier-musei-2009. Acesso em: 03 dez. 2014.

VERGERIO, Carolina (Org.). Il Museo del Cinema nella Mole Antonelliana di Torino. Torino: Umberto Allemandi & C., 2002. 96 p.

VIRILIO, Paul. O espaço crítico e as perspectivas do tempo real. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999. 119 p.

Publicado
2017-04-28
Como Citar
Lupo, B. (2017). Arquitetura, acervo e público no museu contemporâneo. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 24(42), 32-45. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v24i42p32-45
Seção
Artigos