Onde o mar se arrebenta nasce uma paisagem: Recife, a Calçada do Mar

  • Fábio Christiano Cavalcanti Gonçalves Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
  • Flora Oliveira de Souza Cardoso Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
  • Leonardo Brasil Mendes Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
  • Ana Rita Sá Carneiro Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
  • Lúcia Maria de Siqueira Cavalcanti Veras Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
Palavras-chave: Recife (PE). Arrecifes. Paisagem.

Resumo

O presente artigo trata da paisagem da Calçada do Mar, referente ao alinhamento rochoso sedimentológico denominado arrecifes, situado na costa marítima da cidade do Recife (Pernambuco, Brasil). O propósito do estudo é compreender a significação sociocultural da paisagem em questão, fortemente associada ao nascimento e crescimento desta urbe. A fim alcançar tal objetivo, desenvolve-se uma análise reflexiva sobre a noção de paisagem a partir de uma abordagem fenomenológica, associada à observação e à experiência direta no espaço. Nessa perspectiva, também é discutida a relação entre natureza-sujeito e natureza-objeto da Calçada do Mar, na forma como ela tem sido objetificada e subjetivada na cidade. A conclusão aponta que, na história de formação do Recife, a Calçada do Mar se apresenta como um mito fundacional, no duplo sentido de gênese topológica e referencial imagético e também que, atualmente, por meio da experiência direta no espaço que a conforma, sua significação é potencialmente revelada na paisagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flora Oliveira de Souza Cardoso, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, PE
Arquiteta e Urbanista, Especialista em Gestão e Preservação do Patrimônio Cultural pela FIOCRUZ e mestranda em Desenvolvimento Urbano na UFPE.

Referências

BARRETO, A. M. F. et al. Arrecifes, a Calçada do Mar de Recife, PE - Importante registro holocênico de nível relativo do mar acima do atual. In: Winge, M. et al (Edit.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: CPRM, 2013, 332p.

BERQUE, Augustin. Paisagem, meio, história. In: BARTALINE, Wladimir. Cinco propostas para uma teoria da paisagem. Curso de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2012, p.31-42.

CAUQUELIN, Anne. A invenção da paisagem. São Paulo: Martins, 2007. 196p.

NÓS SOMOS A PAISAGEM: como interpretar a Convenção Europeia da Paisagem. Florence: Giunti Progetti Educativi, 2012. 37p.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Brasília: Presidência da República, Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos, 1988. Disponível em: . Acesso em: 14. jul. 2015.

CORAJOUD, Michel. A paisagem é o lugar onde o céu e a terra se tocam. In: SERRÃO, Adriana Veríssimo. Filosofia da paisagem. Uma ontologia. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2011. p.215-227.

EMBREE, Lester. Análise Reflexiva. [Ebook]. Bucharest: Zetta Books, 2011.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1992. 553p.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Trad. Yara Aun Khoury. In: Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, São Paulo: PUC-SP, 1981. p.7-28. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101/8763. Acesso em: 14. jul. 2015.

PENA FILHO, Carlos. Livro Geral Poemas. In: LEÃO, Tânia Carneiro (org.). Guia prático da Cidade do Recife, Recife: Graf. e Edit. Liceu, 1999.

REIS, Nestor Goulart. Imagens de vilas e cidades do Brasil colonial. São Paulo: Edusp:Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2000. 411p.

SERRÃO, Adriana Veríssimo. A Paisagem como problema da filosofia. In: SERRÃO, Adriana Veríssimo. Filosofia da paisagem. Uma ontologia. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2011. 502p.

SETTE, Mário. Arruar: História pitoresca do Recife antigo (Coleção Pernambucana), v. XII. Recife: Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria Estadual da Cultura, 1978. 368p.

SIMMEL, George. Filosofia da paisagem. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2009. 18p.

SOUZA, Maria Ângela de Almeida. Posturas do Recife Imperial. 2002. 266 p. (Tese) Programa de Pós-Graduação em História UFPE, 2002.

WINGE, M. et al. (Eds.) (2013) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Vol. III. Brasília: CPRM, 2013. p.252-262.

Publicado
2017-08-31
Como Citar
Gonçalves, F. C., Cardoso, F., Mendes, L., Carneiro, A. R., & Veras, L. M. (2017). Onde o mar se arrebenta nasce uma paisagem: Recife, a Calçada do Mar. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 24(43), 144-160. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v24i43p144-160
Seção
Artigos