Móvel popular: design para a nova classe média

Palavras-chave: Mobiliário doméstico. Design. Classe média. Manufaturados.

Resumo

Este trabalho traz uma avaliação da capacidade de atuação de arquitetos e designers na escolha, distribuição e articulação dos objetos no ambiente da habitação popular no Brasil. Tem-se como grupo social alvo da pesquisa a Nova Classe Média Brasileira. Diante da impossibilidade de contratação dos serviços de um arquiteto ou designer de interiores, seja por falta de capital, seja por questão cultural, a Nova Classe Média, maior consumidora do país, acaba por escolher e comprar objetos e mobiliário doméstico sem o auxílio de um profissional da área. Esse processo empírico de escolha resulta em arranjos ineficazes que dificultam a circulação no espaço e acabam por prejudicar a qualidade de vida dessas famílias. Neste artigo, apresenta-se uma análise do processo de concepção, edição e estratégia de veiculação de revista popular de arquitetura e design pioneira no país, lançada em 2010. Unidades habitacionais do programa federal de produção de moradias Minha Casa, Minha Vida foram usadas como modelos de laboratório no decorrer da investigação. Comunicação, adaptação de linguagem, conceito de produção de conteúdo de arquitetura, design, reforma e construção para a Nova Classe Média e seus efeitos integram os resultados deste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUDRILLARD, J. O Sistema dos Objetos. Editora Perspectiva, São Paulo 2004.

BARKI, E. E. R. Estratégias de empresas varejistas direcionadas para a baixa renda: um estudo exploratório. Dissertação de Mestrado em Administração de Empresas. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2006.

BEAUCIRE, FRANCIS La Forme des Villes et le développement durable, Lyon, 1999.

BONDUKI, N. Origens da habitação Social no brasil – Arquitetura Moderna, Lei do Inquilinato e Difusão da Casa Própria. Estação Liberdade, São Paulo, 2002.

BONSIEPE, G. A tecnologia da tecnologia. São Paulo: Edgar Blucher, 1980.

BONSIEPE, G. Design, Cultura e Sociedade. São Paulo: Edgar Blucher, 2011.

BONSIEPE, G. Teoria e Practica Del disegno industriale elementi per umamanualistica critica. Barcelona: Editora Gustavo Gili, s. A., 1978.

BROSIG, P. O Mobiliário da habitação Popular. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), FAU-USP, São Paulo, 1983

CAMPANHOLO, T., FONTES, G. G. O, SILVA, A. A riqueza na base da pirâmide: inclusão social pelo consumo e criação de novos mercados. In: Revista da Católica, Uberlândia, v. 2, n. 3, p. 6-20, 2010 – Disponível em http://catolicaonline.com.br/revistadacatolica

CARDOSO, A. L.; ARAGÃO, T. A. Do fim do BNH ao Programa Minha Casa Minha Vida: 25 anos da política habitacional no Brasil. In: CARDOSO, A. L. (Org.). O Programa Minha Casa Minha Vida e seus efeitos territoriais. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

CERQUEIRA, W. F. Crescimento da população brasileira. Brasil Escola, 2010. Disponível em: http://brasilescola.uol.com.br/brasil/o-crescimento-da-populacao-brasileira.htm. Acesso em 27 de julho de 2015.

CORBUSIER, L. Vers une Architecture, Paris, Champs Flammarion, 1923.

CORBUSIER, L. Précisions, Paris, Champs Flammarion, 1930.

CURCIO, G. O. F., KEPPLER, P. e MUYLAERT, R. História Revista. ANER, São Paulo, 2011.

CURCIO, G. O. F. Mobiliário Popular: discussão sobre a qualidade do mobiliário de baixo custo In: revista Design em Foco, Universidade Estadual da Bahia, UNEB, Salvador, 2004.

CURCIO, G. O. F. 2002-2009: A Evolução do Design nos Padrões Estéticos e Funcionais da Habitação Popular Brasileira. Dissertação (Mestrado em Design e Arquitetura), FAU-USP, São Paulo, 2009.

CURCIO, G. O. F. A Habitação de interesse social e a inserção do mobiliário popular no contexto estético-funcional da moradia: proposta de edifício-modelo para o centro de São Paulo. Trabalho Final de Graduação, FAU-USP, São Paulo, 2006.

FEATHERSTONE, M. Desmanche da Cultura: Globalização, Pós-Modernismo e Identidade. Studio Nobel. São Paulo, 1995.

FERNANDES, D. M.; RIBEIRO, V. L. A questão habitacional no Brasil: da criação do BNH ao Programa Minha Casa Minha Vida. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 14., 2011, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: Anpur, .2011.

FOLZ, R. R. Mobiliário na habitação Popular, Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), USP-São Carlos, 2002.

FORTY, A. Objetos de desejo — design e sociedade. Cosac & Naify, São Paulo, 2007.

GALINARI, R.; TEIXEIRA JR, J.R.; MORGADO, R.R. A competitividade da indústria de móveis do Brasil: situação atual e perspectivas. BNDES Setorial 37, p. 227-272, 2013.

KRAUSE, C.; BALBIM, R. O planejamento da habitação de interesse social no Brasil e a sua produção social: desafios e perspectivas. In: Ipea. Infraestrutura social e urbana no Brasil: subsídios para uma agenda de pesquisa e formulação de políticas públicas. Brasília: Ipea, 2010.

LEWIS, H. e SWEATMAN, J. A. Design plus environment, a global guide to designing goods. Greenleaf, 2001.

MALDONADO, T. Diseño Industrial Reconsiderado. Gustavo Gili, Barcelona, 1977.

PASSOS, C. A. A Eficiência e a Estratégia das Empresas que Atuam no Mercado de Bens Populares no Brasil: Um Estudo Sobre o Setor de Móveis. Dissertação (Mestrado em Economia, Administração e Contabilidade), FEA-USP, São Paulo, 2013.

PAMPLONA, T. L. O Interior da Casa Proletária. Ambiente Urbano- Industrial.

Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), São Paulo, 1981.

PAPAROUNIS, D. Ponto de Vista. Colunas sobre jornalismo e suas perspectivas. Meio & Mensagem, São Paulo, 2011.

POTTER N. What is a Designer: education and practice, a guide for students and teachers. Studio Visa, Nova Iorque, 1969.

PRAHALAD, C.K. A riqueza na base da pirâmide: como erradicar a pobreza com lucro. Bookman, Porto Alegre, 2010.

PUBLIABRIL, Reconhecimento internacional: Minha Casa é destaque em anuário da FIPP. [online] 2012. Disponível em: http://atitude-news.blogspot.com.br/2012/05/reconhecimento-internacional-minha-casa.html Acesso em 05 ago. 2013.

ROCHA, A.; SILVA, J. F. Inclusão social e marketing na base da pirâmide: uma agenda de pesquisa. RAE electron. [online]. 2008, vol.7, n.2, pp. 0-0. ISSN 1676-5648. Disponível em: http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?FuseAction=Artigo&ID=5367&Secao=artigos &Volume=7&Numero=2&Ano=2008. Acesso em: 02 ago. 2013.

SCALON, C.; SALATA, A. Uma nova classe média no Brasil da última década?: o debate a partir da perspectiva sociológica. Soc. estado. [online]. 2012, vol.27, n.2, pp. 387-407. ISSN 0102-6992. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/se/v27n2/a09v27n2.pdf. Acesso em: 03 ago. 2013.

SCALZO, M. Jornalismo de Revista. Contexto, São Paulo, 2011.

SANTOS, M. C. L. A Embalagem Vital. Produtos Descartados, Design e os Sem Teto nas Cidades Globais: São Paulo, Los Angeles e Tóquio. Estudos em design, São Paulo, 1999.

SOUZA, L. M. Análise Comparativa das Políticas Habitacionais nos Governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, Dissertação (Mestrado em Economia e Administração), Universidade Vale do Itajaí, Itajaí, 2005.

SELLE, G. Ideología y utopia del diseño. Gustavo Gili, S. A. Barcelona, 1975

TACLA, i. C. De la modélisation de la compétence du designer industriel à une méthode pour valoriser son potentiel d’innovation, Tese (Doutorado em Desenho Industrial), Université de Technologie Compiègne, 2004.

TEDESCHI, P. La Génesis de las Formas y el Diseño Industrial. Buenos Aires, 1966.

UNDERHILL, P. Why we buy: the science of shopping. London Orion Business Books, 1999.

VALENTIM, F e NAVES, R. A cidade e suas margens. Editora 34, São Paulo, 2008.

WHITE, J. Designing for Magazines. R. R. Bowker Company, Nova Iorque, 1982.

Publicado
2017-04-28
Como Citar
Curcio, G., & Santos, M. (2017). Móvel popular: design para a nova classe média. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 24(42), 74-87. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v24i42p74-87
Seção
Artigos