Do “ângulo reto” aos dispositivos poético-visuais do urbanismo moderno

Palavras-chave: Arquitetura moderna, Le Corbusier, América do Sul., História da Arquitetura, Teoria da Arquitetura

Resumo

Com este artigo objetiva-se analisar como a noção de ângulo reto, no interior do universo criativo de Le Corbusier, assume distintos aspectos até se cristalizar em um importante conceito de seu pensamento sobre a relação entre edifício, cidade e paisagem. Partindo do livro autobiográfico O poema do ângulo reto (Le poème de l’angle droit ,1951-55), busca-se traçar pontes entre alguns versos e imagens dessa obra e trechos de seus escritos, conferências e desenhos das viagens entre 1911 e 1936, abordando sobretudo seu périplo pelo leste europeu até Atenas e aquelas duas viagens à América do Sul, onde sua relação mais profícua se deu no Rio de Janeiro. Da aproximação desse material com algumas obras emblemáticas do período purista de sua pintura, como A lareira (La chaminée, 1918), evidencia-se como o conceito em questão tem uma dimensão eminentemente visual. Com este panorama, a investigação busca apresentar um ângulo reto dividido entre a técnica impositora e a liberdade total de criação, expressando os dilemas não resolvidos do próprio arquiteto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Benoit, Escola da Cidade. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

Doutorando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo, fez mestrado e graduação pela mesma instituição. Integra o grupo de pesquisa Preceptivas Artísticas, FAUUSP. É professor na Escola Cidade.

Referências

BARDI, P. Maria. Lembrança de Le Corbusier: Atenas, Itália e Brasil. São Paulo: Nobel, 1984.

BIRKSTED, J. K. Le Corbusier and the occult. Cambridge: MIT, 2007.

BOESIGER (org.). Le Corbusier – Oeuvre complete (1910-1969). Basileia: Birkhäuser, 2006, 8 v.

CALATRAVA, Juan (org.). Doblando el Ángulo Recto. Siete ensayos em torno a Le Corbusier. Madri: Círculo de Bellas Artes, 2009.

CALATRAVA, Juan. Un autre Le Corbusier: l’idée de la synthèse des arts majeurs, in, La lettre du Collège de France. Paris: Collège de France, abril 2010, no. 28

COHEN, Jean-Louis (org.). Le Corbusier – An Atlas of Modern Landscapes. Londres: Thames & Hudson, 2013.

COHEN, Jean-Louis / BENTON, Tim. Le Corbusier, le grand. Nova York: Phaidon, 2008.

COLQUHOUN, Alan. Modernidade e tradição clássica. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

FONDATION LE CORBUSIER. Le Corbusier – l’ oeuvre plastique. Paris: Éditions de la Villette, 2005.

FRAMPTON, Kenneth. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

HARRIS, E. Le Corbusier, riscos brasileiros. São Paulo: Nobel, 1987

HEIDEGGER, Martin. A origem da obra de arte. São Paulo: Edições 70, 2010.

JENGER, Jean (org.). Le Corbusier: Choix de lettres. Basileia: Birkäuser, 2002.

JORNOD, Naïma / JORNOD, Jean-Pierre. Le Corbusier – catalogue raisonné de l’oeuvre peint. Milão: Skira, 2005, 2 tomos.

KRAUSS, Rosalind. Os papeis de Picasso. São Paulo: Iluminuras, 2006.

LE CORBUSIER. L’atelier de la recherche patiente. Lyon: Fage éditions, 2015.

LE CORBUSIER. Precisões sobre um estado presente da arquitetura e do urbanismo. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

LE CORBUSIER. Viagem do Oriente. São Paulo: Cosac Naify, 2007

LUCAN, Jacques (org.). Le Corbusier une encyclopédie. Paris: Centre Georges Pompidou, 1987.

MARTINS, Carlos Ferreira. Razon, ciudad y naturaleza: la génesis de los conceptos en el urbanismo de Le Corbusier. Madrid: Escuela Tecnica Superior de Arquitectura, 1992.

MOORE, Richard A. Alchemical and mythical themes in the Poem of the right angle, in Oppositions : journal for ideas and criticism in architecture, Massachusetts, Institute for Architecture and Urban Studies / MIT, 1980, v. 17-20, p. 111.

MOOS, Stanislaus von. Le Corbusier – elementos de uma síntese. Barcelona: Editorial Lumen, 1977.

MOUCHET, Éric. Estampes à punaiser sur les murs..., in FONDATION LE CORBUSIER. Le Corbusier, L’oeuvre plastique. Paris: éditions de la Villette, 2005.

OZENFANT/ JEANNERET. Depois do cubismo. São Paulo: Cosac Naify, 2005

PETIT, JEAN. Le Corbusier – lui même. Genebra: edições Rousseau, coleção Forces Vives, 1970.

QUEIROZ, Rodrigo Cristiano. Le Corbusier, Paisagem do Rio de Janeiro, 1936. Blog do Instituto Moreira Salles, http://www.blogdoims.com.br/, 15/01/2013.

QUEIROZ, Rodrigo Cristiano. Projeto moderno e território americano: a arquitetura de uma nova paisagem. In: 8o Seminário DOCOMOMO Brasil, 2009, Rio de Janeiro. Caderno de resumos 80 Seminário Docomomo Brasil, 2009. p. 71-72.

SANTOS, Cecília Rodrigues dos (et. al.). Le Corbusier e o Brasil. São Paulo: Projeto editora, 1987.

Publicado
2019-11-19
Como Citar
Benoit, A. (2019). Do “ângulo reto” aos dispositivos poético-visuais do urbanismo moderno. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 26(49), e122214. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfau.2019.122214
Seção
Artigos