Espaços Livres Públicos O Caso das Praças do Metrô de São Paulo

  • Vladimir Bartalini Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Departamento de Projetos

Resumo

Estudo sobre o papel dos espaços públicos centrais nas correntes urbanfsticas, desde o fim do século XIX e suas atuais possibilidades. A praça pública ocupou um lugar de destaque no chamado urbanismo culturalista, perdendo sua importância, enquanto expressão de centralidade, a partir do urbanismo racionalista. Com ênfase nas questões de projeto, destacam-se os trabalhos de Sitte (1898), que define parâmetros de projetação; e de Zucker (1959), que chega a identificar os arquétipos espaciais das praças. As propostas contidas nestes trabalhos estão limitadas em sua realização prática, por partirem do pressuposto da unidade indissolú­ vel entre o espaço da praça e os edifícios que a conformam. Na ausência destas condições, os espaços livres, carentes de significado formal, não são considerados pra­ ças, ou são classificados como “ praças amorfas” , segundo Zucker. Nesta categoria estaria incluída a grande maioria das praças existentes e projetadas, dadas as raras oportunidades que se oferecem hoje para um projeto idealmente integrado. A superação deste impasse pode ser conseguida em projetos que assumam as condições da realidade espacial do lugar em que se inserem, buscando a um só tempo uma consistência arquitetônica própria e a abertura para a descontrolada paisagem circundante

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vladimir Bartalini, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Departamento de Projetos
Professor Assistente MS-2, alocado no Grupo de Disciplina Paisagem e Ambiente do Departamento de Projetos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - USP (em afastamento)
Publicado
1990-12-19
Como Citar
Bartalini, V. (1990). Espaços Livres Públicos O Caso das Praças do Metrô de São Paulo. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 1(1), 11-22. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v1i1p11-22
Seção
nao definida