A (Des)Verticalização de São Paulo e o Plano Diretor da Cidade

  • Nadia Somekh

Resumo

Este artigo baseado na pesquisa sobre a verticalização de São Paulo aponta algumas transformações significativas no processo de produção do espaço da cidade. Fundamentalmente a análise do crescimento vertical de São Paulo desassocia verticalização de adensamento, bem como aponta a ação do Estado interferindo no processo no sentido de limitar significativamente as densidades. Constata-se que São Paulo é vertical, porém não é densa e, que a legislação urbanística foi reduzindo historicamente a oferta de áreas edificáveis. Isto se constituiu um fator de inflacionamento considerável dos preços fundiários, cujo efeito direto é a exclusão dos segmentos de mais baixa-renda do acesso à terra urbana As constatações da pesquisa, principalmente no que diz respeito à possível reversão de alguns efeitos perversos da aplicação da legislação de zoneamento, foram utilizadas na concepção e formulação das propostas no Plano Diretor de São Paulo, apresentado à Câmara em 1991

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1992-12-19
Como Citar
Somekh, N. (1992). A (Des)Verticalização de São Paulo e o Plano Diretor da Cidade. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 1(2), 77-84. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v1i2p77-84
Seção
nao definida