Demonstração Geométrica á da Perspectiva Exata pelas Leis da Ótica

  • Júlio Roberto Katinsky Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Resumo

Em prévios estudos sobre perspectiva, apresentamos um aparelho mais simples que aqueles descritos pelos discípulos de Brunelleschi e a ele atribuídos, com o qual foi possível deduzir empiricamente as leis fundamentais da perspectiva exata, como derivadas da reflexão de espelhos planos. Neste estudo, seguimos um caminho inverso: deduzimos geometricamente a partir da ótica de Descartes e Huygens, a imagem de objetos no plano dos espelhos. Fica assim estabelecida a perspectiva exata como etapa necessária entre a ótica medieval e a ótica moderna

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Roberto Katinsky, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Prof. Titular de História da Arquitetura da FAUUSP

Referências

BADARÓ, Ricardo de Souza Campos. O plano de melhoramentos urbanos de Campinas (1934- 1962). São Carlos, 1986. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

CAMPINAS. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal de Planejamento. Campinas: subsídios para a elaboração do Plano Diretor. Campinas: Secretaria Municipal de Planejamento, Prefeitura Municipal, 1991.

CAN ESQUI, Ana Maria, QUEIRÓZ, Marcos de S. Campinas: população, situação de saúde e organização do cuidado médico. Campinas: Núcleode Estudosde Políticas Públicas, Universidade Estadual de Campinas.

CANO, Wilson. Desequilíbrios regionais e concentração industrial do Brasil: 1930-1970. São Paulo: Global; Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1985.

CANO, Wilson. Raízes da concentração industrial em São Paulo. 2. ed. São Paulo:T. A. Queiroz, 1983.

FELICIELLO, Domenico. Atenção primária e política de saúde. Campinas: PucCamp, 1985. (mimeo)

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOG RAFIA E ESTATÍSTICA. Enciclopédia dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1957. v. XXVIII, v. XXIX, v. XXX.

L'ABBATE, Solange. O direito à saúde: da reivindicação à realização. Projetos de política de saúde em Campinas. São Paulo, 1990. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

MARIANO, Júlio. Grandes estabelecimentos hospitalares de Campinas, ligados a instituições diversas. In: Monografia histórica do município de Campinas. Rio de Janeiro: IBGE, 1952.

MASCARENHAS, Rodolfo dos S. Contribuição para o estudo da administração sanitária estadual em São Paulo. São Paulo, 1949. Tese (Livre-Docência)-Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.

MATOS, Odilon Nogueira de. Café e ferrovias: a evolução ferroviária de São Paulo e o desenvolvimento da cultura canavieira. 4. ed. Campinas: Pontes, 1990.

MONBEIG, Pierre. Pioneiros e fazendeiros de São Paulo. São Paulo: Hucitec e Polis, 1984.

OLIVEIRA, Jandira L. de. Contribuição para a história da saúde pública paulista: o projeto de revitalização do Museu de Saúde Pública Emílio Ribas. São Paulo, 1986. Dissertação (Mestrado)- Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

PAULA, Carlos F. de. Assistência pública. In: Monografia histórica do município de Campinas. Rio de Janeiro: IBGE, 1952.

PEREIRA, Wlademir. Campinas na atualidade. In: Monografia histórica do município de Campinas. Rio de Janeiro: IBGE, 1952.

PETRON E, Maria Thereza Schorer. A lavoura canavieira em São Paulo: expansão e declínio (1765-1851). São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1968.

PUPO, Celso Maria de Mello. Campinas, seu berço e juventude. Campinas: Academia Campinense de Letras, 1969.

SÃO PAULO. Secretaria de Economia e Planejamento, Coordenadoria de Ação Regional. 5ª região administrativa: diagnóstico. São Paulo: Secretaria de Economia e Planejamento, Coordenadoria de Ação Regional, 1973.

SÃO PAULO. Padrões funcionais e espaciais da rede urbana do estado de São Paulo. São Paulo: Secretaria de Economia e Planejamento, Coordenadoria de Ação Regional, 1975.

SÃO PAULO. Problemas emergentes do estado de São Paulo: subsídios à elaboração de uma estratégia. São Paulo: Secretaria de Economia e Planejamento, Coordenadoria de Ação Regional, 1976. '

SÃO PAULO. Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Centro de Pesquisa e Estudos Urbanísticos. Regionalização do estado de São Paulo: saúde. São Paulo: USP, FAU, CPEU, 1967.

SEMEGHINI, Ulysses Cidade. Campinas (1860a 1980):agricultura, industrialização e urbanização. Campinas, 1988. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas.

SILVA, Kleber Pinto. Urbanização e sistema de saúde na região de Campinas/SP. São Carlos, 1993. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

TARTAG LIA, José C., OLIVEIRA, Osvaldo L. de. Agricultura e interiorização do desenvolvimento em São Paulo. In: Modernização e desenvolvimento no interior de São Paulo. São Paulo: UNESP, 1988.

ZALUAR, Emílio Augusto. Peregrinação pela província de São Paulo. São Paulo: Edusp, Belo Horizonte: Itatiaia, 1975.

Publicado
1995-04-19
Como Citar
Katinsky, J. (1995). Demonstração Geométrica á da Perspectiva Exata pelas Leis da Ótica. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, (5), 99-104. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i5p99-104
Edição
Seção
nao definida