A americanização das cidades brasileiras: novas formas urbanas e a ideia de unidade de vizinhança

Palavras-chave: Circulação de ideias, Urbanismo moderno, Cidades novas

Resumo

Este artigo explora a repercussão da americanização da sociedade brasileira em meados do século XX no campo urbanístico, mais especificamente na conformação de novas cidades nas frentes pioneiras de colonização agrícola, e examina quais ideias norteamericanas contribuíram para a construção de novas formas urbanas no Brasil. Ao analisar os traçados de Goiânia-GO (1936), Angélica-MS (1954), e Medicilândia e Rurópolis-PA (1972), e compreender seu contexto sociocultural, o artigo mostra que a unidade de vizinhança norte-americana ajudou a materializar o anseio local por modernização e desenvolvimento, então referenciados no American way of life. A conformação da unidade de vizinhança no traçado destas novas cidades revela que a ideia norte-americana foi apropriada e adaptada e que o fenômeno da americanização coincidiu com a consolidação da hegemonia do urbanismo racionalista/funcionalista no país, e confundiu-se com ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMANDOZ, Arturo. Modernization, urbanization and development in Latin America, 1900s-2000s. London: Routledge, 2015.

ARRUDA, Ângelo Marcos. Plano urbano de Jorge Wilheim fez nascer a cidade de Angélica há 50 anos. Revista Minha Cidade, [Goiânia], ano 4, 2004. Disponível: https://bit.ly/2TRsEVy. Acesso em: 1 ago. 2018.

ARTIGAS, Vilanova. Caminhos da arquitetura. São Paulo: Cosac & Naify, 1999.

BRAGA, Milton. O concurso de Brasília. São Paulo: Cosac & Naify, 2010.

BRAGA, Aline Moraes Costa. (Im)possíveis Brasílias: os projetos apresentados no concurso do plano piloto da nova capital federal. São Paulo: Alameda, 2011.

BRODY, Jason. The neighborhood unit concept and the shaping of American land planning 1912-1968. Journal of Urban Design, Abingdon, v. 18, n. 3, p. 340-362, 2013.

CAMARGO, José Geraldo da Cunha. Urbanismo rural. Brasília, DF: Ministério da Agricultura/INCRA, 1973.

COHEN, Jean-Louis. Scenes of the world to come: European architecture and the American challenge, 1893-1960. Paris: Flammarion, 1995.

COSTA, Luiz Augusto Maia. A presença norte-americana na Revista Politécnica, 1905-1930. Pós, São Paulo, v. 16, n. 25, p. 80-98, 2009.

DERNTL, Maria Fernanda. Além do plano: a construção das cidades-satélites e a dinâmica

centro-periferia em Brasília. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA CIDADE E DO URBANISMO, 14., 2016, São Carlos. Anais […] São Carlos: IAU-USP, 2016. p. 367-378. Disponível em: https://bit.ly/2ZeTh89. Acesso em: 1 ago. 2018.

FELDMAN, Sarah. A americanização do setor de urbanismo da administração municipal de São Paulo. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA CIDADE E DO URBANISMO, 4., 1996, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996. p. 224-234.

FELDMAN, Sarah. Os anos 30 e a difusão do urbanismo americano no Brasil. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA CIDADE E DO URBANISMO, 6., 2000, Natal. Anais […]. Natal: UFRN, 2000. p. 100-100.

GOLD, John R. The MARS plans for London, 1933-1942: plurality and experimentation in the city plans of the early British modern movement. The Town Planning Review, Liverpool, v. 66, n. 3, p. 243-267, 1995.

GOMES, Ângela de Castro (org.). Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

GORELIK, Adrián. Das vanguardas a Brasília. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

HERBST, Hélio. Pelos salões das Bienais, a arquitetura ausente dos manuais: contribuições para a historiografia brasileira (1951-1959). São Paulo: Annablume: Fapesp, 2011.

HILTON, Stanley E. O amigo americano: Nelson Rockefeller e o Brasil. Journal of American History, Cary, v. 103, n. 3, p. 835-836, 2016.

HOLSTON, James. A cidade modernista. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

INSTITUTO BARDI. Vilanova Artigas: arquitetos brasileiros. São Paulo: Instituto Lina Bo e Piero Maria Bardi, 1997.

KING, Anthony D. Urbanism, colonialism, and the world-economy. London: New York: Routledge, 1990.

LEME, Maria Cristina da Silva. Urbanismo no Brasil 1895-1965. Salvador: UFBA, 1995.

LEME, Maria Cristina da Silva. Transforming the modern Latin American city: Robert Moses and the International Basic Economic Corporation. Planning Perspectives, Abingdon, v. 25, n. 4, p. 515-528, 2010.

LIERNUR, Jorge Francisco. The south American way: o milagre brasileiro, os Estados Unidos e a segunda guerra mundial – 1939-1943. In: GUERRA, Abílio (org.). Textos fundamentais da história da arquitetura moderna brasileira: parte 2. São Paulo: Romano Guerra, 2010. p. 169-217.

MARINHO, Maria Gabriela S. M. C. Norte-americanos no Brasil: uma história da Fundação Rockefeller na Universidade de São Paulo (1934-1952). Campinas: Autores Associados, 2001.

MARTINS, Carlos Alberto Ferreira. Identidade nacional e estado no projeto modernista. In: GUERRA, Abílio (org.). Textos fundamentais da história da arquitetura moderna brasileira. São Paulo: Romano Guerra, 2010. p. 279-298. 1 v.

MILLER, Mervyn. Garden cities and suburbs: at home and abroad. Journal of Planning History, Thousand Oaks, v. 1, n. 1, p. 6-28, 2002.

MORAES, Antonio Carlos Robert. Território e história no Brasil. São Paulo: Annablume, 2008.

MOURA, Gerson. Tio Sam chega ao Brasil: a penetração cultural americana. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MUMFORD, Lewis. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MUMFORD, Eric. Shaping American urban public space from CIAM to new urbanism. Pós, São Paulo, v. 10, p. 112-125, 2001.

NYE, Jr., Joseph S. Soft power. Foreign Policy, Washington, DC, v. 80, twentieth anniversary, p. 153-171, 1990.

PERRY, Clarence. The neighbourhood unit: a scheme of arrangement for the family-life community. New York: Arno Press, 1974. (The regional plan of New York and its environs,7)

PINHEIRO, Letícia. O Brasil no mundo. In: GOMES, Angela de Castro. Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013. p. 143-177.

PINHEIRO, Eloisa P. As ideias estrangeiras criando cidades desejáveis na América do Sul: do academicismo ao modernismo. Scripta Nova, Barcelona, v. 14, n. 331, 2010. Disponível em: https://bit.ly/2ZfMKtO. Acesso em: 15 maio 2018.

PIRES, Jacira Rosa. Goiânia: cidade pré-moderna do cerrado 1922-1938. Goiânia: PUC, 2009.

REGO, Renato Leão. Brazilian garden cities and suburbs: accommodating urban modernity and foreign ideals. Journal of Planning History, Thousand Oaks, v. 13, n. 4, p. 276-295, 2014. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1538513214521582.

REGO, Renato Leão. A integração cidade-campo como esquema de colonização e criação de cidades novas: do norte paranaense à Amazônia Legal. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Curitiba, v. 17, n. 1, p. 89-103, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2015v17n1p89.

REGO, Renato Leão. Unidade de vizinhança: um estudo de caso das transformações de uma ideia urbanística. Urbe, Curitiba, v. 9, n. 3, p. 401-413, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-3369.009.003.ao01.

REZENDE, Vera (org.). Urbanismo na era Vargas. Niterói: UFF, 2012.

ROCHA, Lígia; GROSBAUM, Marcia. Jorge, o traço e o todo. Oculum Ensaios, Campinas, v. 13, n. 2, p. 205-221, 2016.

SCHUBERT, Dirk. The neighbourhood paradigm: from garden cities to gated communities. In: FREESTONE, R. (ed.). Urban planning in a changing world. London: E & FN Spon, 2000. p. 118-138.

SERT, José Luis. Can our cities survive? An ABC of urban problems, their analysis, their solutions. Cambridge: The Harvard University Press, 1944.

SILVA, Claiton Marcio da. Nelson Rockefeller e a atuação da American International Association for Economic and Social Development: debates sobre missão e imperialismo no Brasil, 1946-1961. História, Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 1695-1711, 2013.

SOMEKH, Nadia. A cidade vertical e o urbanismo modernizador: São Paulo 1920-1939. São Paulo: Nobel, 1997.

SPELLACY, Amy. Mapping the metaphor of the good neighbor: geography, globalism, and pan-americanism during the 1940s. American Studies, Halle, v. 47, n. 2, p. 39-66, 2006.

SZMRECSANYI, Maria Irene de Q. F. A americanização da cidade brasileira: a substituição de modelos urbanísticos em São Paulo no século XX. In: BARBERO, María I.; REGALSKY, Andrés M. (eds.). Americanización: Estados Unidos y América Latina en el siglo XX: transferencias ecnonómicas, tecnológicas y culturales. Buenos Aires: Editorial de la Universidad Nacional de Tres de Febrero, 1993. p. 191-217.

TOTA, Antonio Pedro. Americanização no condicional: Brasil nos anos 40. Perspectivas, São Paulo, n. 16, p. 191-212, 1993.

TOTA, Antonio Pedro. O imperialismo sedutor. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

TOTA, Antonio Pedro. O amigo americano: Nelson Rockefeller e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

WARD, Stephen V. Cities as planning models. Planning Perspectives, Abingdon, v. 28, n. 2, p. 295-313, 2013.

WILHEIM, Jorge. A obra pública de Jorge Wilheim. São Paulo: Dorea Books, 2003.

ZAKIA, Silvia A. Palazzi. Brazil builds em Campinas: uma ferramenta simbólica da estratégia de legitimação da implantação do plano de melhoramentos urbanos. Pós, Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, São Paulo, v. 17, n. 27, p. 26-45, 2010.

Publicado
2019-09-03
Como Citar
Rego, R. (2019). A americanização das cidades brasileiras: novas formas urbanas e a ideia de unidade de vizinhança. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 26(48), e148753. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfau.2019.148753
Seção
Artigos