Processo de construção das dimensões norteadoras para projetos interativos escolares: a fundamentação na percepção espacial de alunos com restrições visuais

Palavras-chave: Percepção espacial, Interação espacial, Alunos com restrições visuais, Projetos interativos, Inclusão escolar

Resumo

O artigo trata da Percepção Espacial, investigada sob a ótica dos projetos escolares focados nos alunos com restrições visuais do Ensino Fundamental, tendo seus estudos iniciados no curso de Mestrado, culminando na conclusão da Tese de Doutoramento de uma das autoras. Demonstra parte do processo de construção do Sistema Norteador de Projetos Interativos, essencialmente, a estruturação das dimensões norteadoras de um dos seus elementos estruturadores basilares, a Percepção Espacial. Focada nos seus propósitos, a pesquisa foi concretizada, sob um processo sistêmico, em três etapas: Conceitualização, Estruturação e Legitimação, orientadas pelo Design de Interação e aplicação de técnicas de pesquisas, tais como, a Análise de Conteúdo e Análise do Conceito. As Dimensões fundamentadas na percepção multissensorial estão alinhadas à proposta dos Projetos Interativos Escolares, os quais possuem como produto, o espaço físico tratado como sistema de artefatos. A pesquisa observa a importância da Interação Espacial em projetos escolares, propondo resultados que favorecem aos leitores interessados no fenômeno tratado. Contempla pesquisadores e profissionais envolvidos no planejamento dos espaços físicos escolares, observando a PE como diretriz de projetos de escolas que buscam beneficiar à Inclusão Escolar, bem como, aqueles que desejem utilizar a orientação teórica e metodológica desta pesquisa para abordar outros contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea de Aguiar Kasper, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Pós-Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PosARQ)

Vera Lúcia Duarte do Valle Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção.

Professora do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP).  Possui graduação em ENGENHARIA INDUSTRIAL pela Universidade Federal de Santa Catarina (1966), mestrado em INDUSTRIAL ENGINEERING - University of Houston System (1972) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995). Atualmente é professor associada II da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Ergonomia, atuando principalmente nos seguintes temas: seguranca industrial, ergonomia, layout, seguranca e projeto de fábrica.

Lizandra Garcia Lupi Vergara, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo.

Professora dos Programas de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PosARQ) e Engenharia de Produção (PPGEP).  Arquiteta e Urbanista e Engenheira de Segurança do Trabalho, com Mestrado (2001) e Doutorado (2005) na área de Ergonomia pela Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Associada na Graduação (DEPS) e Pós-graduação (PPGEP) na Engenharia de Produção e Arquitetura (PosARQ) da UFSC. Líder do grupo de pesquisa GMETTA - Grupo Multidisciplinar de Ergonomia do Trabalho e Tecnologias Aplicadas (UFSC-CNPq), e Ergonomista Pesquisadora (nível Senior) certificada pela Associação Brasileira de Ergonomia (ABERGO). Atua como Editora Chefe da Revista Iberoamericana de Engenharia Industrial - IJIE (Iberoamerican Journal of Industrial Engineering). Desenvolve pesquisas nas temáticas: Ergonomia, Saúde e Segurança Ocupacional, Lean-Ergonomics, Tecnologias Assistivas e Envelhecimento Saudável, Arquitetura Inclusiva e Usabilidade.

Referências

ABATE, Tania Pietzschke; KOWALTOWSKI, Doris Catharine Cornelie Knatz. Avaliação de pisos táteis como elemento de wayfinding em escola de ensino especial para crianças com deficiência visual. Ambiente Construído. Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 53-71, 2017. Disponível em: https://bit.ly/395DT2S. Acesso em: 29 mar. 2019.

ALEGRE, Maria José. A deficiência visual. 2002. Disponível em: https://bit.ly/2Qyi2ux. Acesso em: 12 mar. 2019.

ALEXANDRE, Dulcierci Sternadt; TAVARES, João Manuel R. S. Factores da percepção visual humana na visualização de dados. In: CONGRESSO IBERO LATINO-AMERICANO SOBRE MÉTODOS COMPUTACIONAIS EM ENGENHARIA, 28, 2007, Porto. Anais […]. Porto: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2007. p. 13-15. Disponível em: https://bit.ly/2Qx2U0o Acesso em: 12 mar. 2019.

AMIRALIAN, Maria Lúcia Toledo; PINTO, Elizabeth Batista; GHIRARDI, Maria Izabel Gárcez; LICHTIG, Ida; MASINI, Elcie Forte Salzano; PASQUALIN, Luiz. Conceituando deficiência. Revisa de Saúde Pública, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 97-103, 2000. Disponível em https://bit.ly/3dmS5rF. Acesso em: 5 dez. 2019.

ARAGONÉS TAPIA, Juan Ignacio. Cognición ambiental. In: ARAGONÉS TAPIPA, Juan Ignacio; CUERVO-ARANGO, María Amérigo (coord.). Psicología ambiental. 2. ed. Madrid: Pirámide, 2000. p. 43-58.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2010.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, ano 126, p. 1, 26 jun. 2014. Edição extra. Disponível em: https://bit.ly/2UhKtO4. Acesso em: 30 set. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, ano 127, p. 2, 7 jul. 2015. Disponível em: https://bit.ly/2Um2ueg. Acesso em: 19 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação/Secretaria de Educação Especial. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos cegos e de alunos com baixa visão. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2005.

BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Portaria nº 142, de 16 de novembro de 2006. Institui o comitê de ajudas técnicas (CAT). Diário Oficial da União: Seção 2, Brasília, DF, ano 118, p. 3, 17 nov. 2006.

BRUNO, Marilda Morais Garcia.; NASCIMENTO, Ricardo Augusto Lins do. Política de acessibilidade: o que dizem as pessoas com deficiência visual. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 1, p. 1-15, e84848, 2019. Disponível em: https://bit.ly/39xSF2D. Acesso em: 30 set. 2019.

CALADO, Giordana Chaves; ELALI, G. A. A experiência da acessibilidade nas escolas da rede municipal de Natal. In: ENCONTRO NACIONAL DE ERGONOMIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 4.; SEMINÁRIO BRASILEIRO DE ACESSIBILIDADE INTEGRAL, 5. Florianópolis, 2013. Anais […]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

CAMPOS, Claudinei José Gomes. Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, DF, v. 57, n. 5, p. 611-614, 2004. Disponível em: https://bit.ly/3a7YIvN. Acesso em: 20 mar. 2019.

CAMPOS, Claudinei José Gomes; TURATO, Egberto Ribeiro. Análise de conteúdo em pesquisas que utilizam metodologia clínico-qualitativa: aplicação e perspectivas. Revista Latino-americana de Enfermagem, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 1-6, 2009. Disponível em: https://bit.ly/393rc8J. Acesso em: 19 mar. 2019.

CAÑAS, José Juan; WAERS, Yvonne. Ergonomia cognitiva: aspectos psicológicos de la interacción de las personas con la tecnologia de la información. Buenos Aires: Medica Panamericana, 2001.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CONDE, Antônio João Menescal. Definindo a cegueira e baixa visão. [S. l.], 9 set. 2017. Instituto Benjamin Constant. Disponível em: https://bit.ly/2UVeDXM. Acesso em: 20 fev. 2020.

CROSS, Rob; BORGATTI, Stephen Peter; PARKER, Andrew. Beyond answers: dimensions of the advice network. Social Networks, [s. l.], v. 23, p. 215-235, 2001. Disponível em: https://bit.ly/2U4XFan. Acesso em: 15 nov. 2019.

GELLER, Leane Ketterlin. Knowing what all students know: procedures for developing universal design for assessment. Journal of Technology, Learning and Assessment, Chestnut Hill, v. 4, n. 2, p. 1-22, 2005. Disponível em: https://bit.ly/33AhxFn. Acesso em: 15 out. 2019.

GIBSON, James Jerome. The senses considered as perceptual systems. Boston: Houghton Mifflin Company, 1966.

HALL, Edward Twitchell. A dimensão oculta. São Paulo: Martins Fontes. 2005.

HOLZSCHUH FRESTEIRO, Rosalía. La iluminación de los espacios como parámetro de accesibilidad para personas con baja visión. 2001. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Escuela Tecnica Superior de Arquitectura, Universidad Politecnica de Madrid, Madrid, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Informações sobre os resultados preliminares da amostra do censo 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 20010. Disponível em: https://bit.ly/3a8EH8o. Acesso em: 12 nov. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Resumo técnico: censo da educação básica de 2018. Brasília, DF: Inep, 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Glossário da educação especial: censo escolar de 2019. Brasília, DF: Inep, 2019.

KASPER, Andrea de Aguiar. Modelo para avaliação de acessibilidade espacial de escolas públicas de ensino fundamental para alunos com restrições visuais. 2007. 227 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007. Disponível em: https://bit.ly/2wr0PMr. Acesso em: 15 out. 2019.

KASPER, Andrea de Aguiar. Sistema norteador para projetos interativos (Sinpi): abordagem da percepção espacial, da arquitetura escolar inclusiva e da usabilidade orientada para a interação espacial de alunos com restrições visuais. 2013. 380 p. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013. Disponível em https://bit.ly/33ZR6ZT. Acesso em: 15 out. 2019.

KASPER, Andrea de Aguiar; LOCH, Márcia do Valle Pereira; PEREIRA, Vera Lúcia Duarte do Valle. Alunos com deficiência matriculados em escolas públicas de nível fundamental: algumas considerações. Educar em Revista, Curitiba, n. 31, p. 231-243, 2008. Disponível em: https://bit.ly/33BBQCA. Acesso em: 28 out. 2019.

KASPER, Andrea de Aguiar; PEREIRA, Vera Lúcia Duarte do Valle, LOCH, Márcia do Valle Pereira. Acessibilidade espacial escolar em pátios para alunos com restrições visuais: a construção de um instrumento de avaliação. Pós-, São Paulo, n. 25, p. 292-307, 2009. Disponível em: https://bit.ly/3dnuC9N. Acesso em: 28 out. 2019.

LARA, Luiz Fernando. A gestão de pessoas e o desafio da inclusão das pessoas com deficiência: uma visão antropológica da deficiência. Revista Capital Científico, Guarapuava v. 11, n. 3, p. 121-142, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2U5jCpN. Acesso em: 16 out. 2019.

LUIZ, Flávia Mendonça Rosa. Experiência de professoras da educação infantil no processo de inclusão escolar de crianças com síndrome de Down. 2013. Tese (Doutorado em Enfermagem em Saúde Pública) – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2V3X6gr. Acesso em: 5 jan. 2020

LEDERMAN, Susan J.; KLATZKY, Roberta L. Haptic perception: a tutorial. Attention, Perception, & Psychophysics, Chicago, v. 71, p. 1439-1459, 2009. Disponível em: https://bit.ly/399tnay. Acesso em: 28 out. 2019.

LIDWELL, William; HOLDEN, Kritina; BUTLER, Jill. Universal Principles of Design. Massachusetts: Rockport Publishers. 2010.

MENEZES, A. M. Percepção, memória e criatividade em arquitetura. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v. 14, n. 15, p. 15-48, 2007. Disponível em: https://bit.ly/2WsvEv3. Acesso em: 10 jan. 2019.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 7. ed. Porto Alegre: Grupo A, 2019.

MARTÍNEZ DE ARAGÓN, Cristina; ASENSIO BROUARD, Mikel; FERNÁNDEZ LAGUNILLA, Emilio; POZO MUNICIO, Juan Ignacio; OCHAÍTA ALDERETE, Espernaza; ROSA RIVERO, Alberto; HUERTAS MARTÍNEZ, Juan Antonio. Aspectos cognitivos del desarrollo psicológico de los ciegos. Madrid: Ministerio de Educación y Ciencia, 1988.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais. Realization of the sustainable development goals by, for and with persons with disabilities. New York: ONU, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2J69d6N. Acesso em: 28 mar. 2019.

PACHECO JÚNIOR, Waldemar; PEREIRA, Vera Lúcia Duarte do Valle.; PEREIRA FILHO, Hipólito do Vale. Pesquisa científica sem tropeços: abordagem sistêmica. São Paulo: Atlas. 2007.

PORCIÚNCULA, Karina; BOTELHO, Luanda. Os desafios para a produção de indicadores sobre pessoa com deficiência – ontem, hoje e amanhã. In: SIMÕES, André; ATHIAS, Leonardo; BOTELHO, Luanda (org.). Panorama Nacional e Internacional da Produção de Indicadores Sociais: Grupos Populacionais Específicos e Uso do Tempo. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. p. 114-167. Disponível em: https://bit.ly/2UtWRL0. Acesso em: 28 out. 2019.

PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Design de interação: além da interação humano-computador. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.

RAJENDRAN, Sathyanarayanan. Sustainable construction safety and health rating system. Tese (Doutorado em Philosophy) – Oregon State University, Corvallis, 2006. Disponível em: https://bit.ly/3dk8Sez. Acesso em: 28 out. 2019.

REBELO, Irla Bocianoski. Proposta de uma ferramenta de verificação dos procedimentos de interação em sistemas de realidade virtual. 2004. 172 p. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

SAFFER, Dan. Designing for interaction: creating innovative applications and devices. 2. ed. Berkley: New Riders. 2010.

SCHIFFMAN, Harvey Richard. Sensação e percepção. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005.

SCHINAZI, Victor. Representing space: the development, content and accuracy of mental representations by the blind and visually impaired. 2008. Tese (Doutorado em Philosophy) – University College London, London, 2008. Disponível em: https://bit.ly/3bB8Vkw. Acesso em: 28 out. 2019.

SILVA, Cristina Rocha; GOBBI, Beatriz; SIMÃO, Ana Adalgisa. O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações rurais & agroindustriais, Lavras, v. 7, n. 1, p. 70-81, 2005. Disponível em https://bit.ly/2QwRJVe. Acesso em: 28 mar. 2019.

SILVA, Alexandre H.; FOSSÁ, M. T. Análise de conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos. IV ENCONTRO DE ENSINO E PESQUISA DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE, 4., 2013, Brasília, DF. Anais […]. Brasília, DF: Anpad, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2JpXv7r. Acesso em: 28 mar. 2019.

SEKARAN, Uma; BOUGIE, Roger. Research methods for business: a skill building approach. 7. ed. Hoboken: John Wiley & Sons.

SOUSA, Ana Cleia da Luz Lacerda; SOUSA, Ivaldo Silva. A inclusão de alunos com deficiência visual no âmbito escolar. Estação Científica, Macapá, v. 6, n. 3, p. 41-50, 2016. Disponível em: https://bit.ly/2Uvy0Xw. Acesso em: 28 out. 2019.

STERNBERG, Robert; STERNBERG, Karin. Cognitive psicology. Belmont: Cengage Learning: Wadsworth, 2017.

VASQUEZ, Natalia Giraldo; PEREIRA, Fernando Oscar Ruttkay; KUHNEN, Ariane. Preferências visuais das crianças em salas de aula de educação infantil: uma aproximação experimental. Ambiente construído, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 11-28, 2018. Disponível em: https://bit.ly/39e3iHK. Acesso em: 28 mar. 2019.

WILSON, John. Pensar com conceitos. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes. 2001. 165 p.

Publicado
2020-05-04
Como Citar
Kasper, A., Pereira, V. L., & Vergara, L. (2020). Processo de construção das dimensões norteadoras para projetos interativos escolares: a fundamentação na percepção espacial de alunos com restrições visuais. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 27(50), e164817. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfau.2020.164817
Seção
Artigos