O momento atual do ensino de arquitetura brasileiro e a arquitetura sustentável preconizada na agenda 21

  • Moacyr Paulista Cordeiro Universidade de São Paulo; Faculdade de Arquitetura; Departamento de Tecnologia da Arquitetura
Palavras-chave: Arquitetura e urbanismo, ambiente sustentável, tecnologia da construção

Resumo

Este trabalho analisa o atual estágio do ensino no Brasil, de forma geral, e da arquitetura e do urbanismo, em particular, quando aborda aspectos básicos e necessários a atingir-se um ambiente adequado à vida e em consonância aos objetivos preconizados pela Agenda 21, no que se refere ao espaço construído, atingindo-se uma qualidade desejada, com desenvolvimento sustentado e recuperação do meio natural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACOT, Patric. História da ecologia. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1990.

AGENDA 21. Ação para o próximo século. Rio de Janeiro: UNCED, 1992.

BARDU, Patrich; ARZOU, Manian. Sol y arquitetura. Barcelona: Ed. Gustavo Gili, 1981.

BEZERRA, Arnaldo M. Energia solar. Curitiba: Ed. Itaipu, 1982.

BRASIL, Estatuto das Cidades. Guia para a implementação pelos municípios e cidadãos. (Lei n. 10.257 de 10/07/2001). 2 ed. Brasília: Ed. Câmara dos Deputados, Coordenação Publicações, 2002.

FRANCO, Maria de A. R. Desenho ambiental. São Paulo: Annablume, 1997.

FROTA, Anésia B; SHIFFER, Sueli R. Manual de conforto térmico. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

GOROVITZ, Matheus. Os riscos do projeto. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

GRAEFF, Edgar A. Arte e técnica na formação do arquiteto. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

HERTZBERGER, Hernan. Lições de arquitetura. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1999.

HOLLAND SOLAR ZONNE – Energie in Nederland. JG Ultrecht, s/d.

REIS, Raquel Cardoso (Org.). Indústria Imobiliária e a Qualidade Ambiental. Subsídio para o Desenvolvimento Urbano Sustentável. São Paulo: Editora Pini, 2000.

IZARD, Jean-Louis. Arquitetura bioclimática. México D. F: Ed. Gustavo Gili, 1983.

LAMBERTS, Roberto. Eficiência energética na arquitetura. São Paulo: PW Editores, 1997.

ORNSTEIN, Sheila W. Desempenho do ambiente construído, interdisciplinaridade e arquitetura. São Paulo: FAUUSP, 1995.

REMMERT, Hermann. Ecologia. São Paulo: EPU, EDUSP, 1980.

GRAEFF, Edgar Albuquerque. Revista da FAU-UnB, Brasília: Ed. UnB, n. 1, 1998.

RIBEIRO, Darci. A universidade necessária. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 1998.

RICKLEFS, Robert E. A economia da natureza. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 1996.

SECOVI – Sindicato da Habitação, Indústria Imobiliária e a Qualidade Ambiental. Subsídio para o desenvolvimento urbano sustentável. São Paulo: Ed. Pini, 2000.

SEHAB – Secretaria da Habitação e Desenvolvimento Urbano. Roteiro de projeto de edificações. São Paulo: Ed. Pini, 1988.

SÉRIE ARQUITETOS BRASILEIROS. João Filgueiras Lima (Lelé). Lisboa: Ed. Blau, 2000.

TAUK, Samia M. Análise ambiental: Uma visão multidisciplinar. São Paulo: Unesp – Fapesp, 1991.

TOMPSON, William I. et al. Gaia, uma teoria do conhecimento. São Paulo: Gaia, 1990.

Publicado
2003-12-01
Como Citar
Cordeiro, M. (2003). O momento atual do ensino de arquitetura brasileiro e a arquitetura sustentável preconizada na agenda 21. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, (14), 58-65. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i14p58-65
Seção
Artigos