Governância: de instrumento da democracia à instrumentalização de um conceito

Autores

  • Roberto C. Rocco de Campos-Pereira Universidade Técnica de Delft; Faculdade de Arquitetura

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i14p94-109

Palavras-chave:

Governância e globalização, administração pública, parceria público^i1^spriv, fundamentos do planejamento urbano e regional

Resumo

Buscou-se neste texto uma definição substanciada para a noção de governância, um neologismo impreciso, mas em voga nos meios acadêmicos e também no mundo da administração pública e dos negócios. Procurou-se, pela comparação e análise de várias enunciações apresentadas, encontrar pontos convergentes para a definição do que seria a governância na condução dos negócios públicos e no aperfeiçoamento da democracia. A partir dessa definição, aponta-se para a instrumentalização do conceito e sua utilização como matéria para construções ideológicas que ajudam a manter a preponderância de algumas nações na arquitetura político-econômica do mundo contemporâneo, ao mesmo tempo em que a soberania de outras nações é solapada em nome da defesa de preceitos e valores contidos nesse mesmo conceito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRITISH COUNCIL. Governance and civil society. British Council on-line bulletin. 1999. Disponível em: http://www.britcoun.org/governance/civsoc/index.htm. Acesso em: 19 de maio 2001.

CEG – Centre d’Études en Gouvernance. What is governance?. Ottawa: University of Ottawa. Disponível em: http://www.gouvernance.uottawa.ca. Acesso em: 25 ago. 2001.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. São Paulo: Cortez, 1993.

COMMUNITAS GROUP. Our governance. Washington: Bremerton. Disponível em: http://>www.communitas.org. Acesso em: 20 de jun. 2000.

FMI. The role of the IMF in governance issues: Guidance note (approved by the IMF Executive Board, july 25, 1997). Washington D.C.: IMF Publication Services, 1997.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

HENDERSON, H. Good governance and participatory development. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE GOVERNÂNCIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E IGUALDADE 1997, Nova York. Anais... Nova York: United Nations, 28-30 jul. 1997.

HYDEN, Goran; BRATTON, Michael (Ed.). Governance and politics in Africa. Boulder: Lynne Rienner, 1992.

IIAS – Governance Working Group. Governance: A working definition. Bruxelas: International Institute of Administrative Sciences, 1996.

IOG – Institute on Governance. Accountability and performance measurement. Ottawa. Disponível em: http://www.iog.ca. Acesso em: 21 maio 2001.

IT – Governance Institute. Definition of IT Governance. Rolling Meadows, IL: IT Governance Institute Press, 2001.

KURZ, Robert. A biologização do social. Folha de S. Paulo, São Paulo, 7 de jul. 1996, caderno MAIS!, p. 5-7.

N’DOW, Wally. Keynote Address. THE INTERNATIONAL CONFERENCE ON GOVERNANCE FOR

SUSTAINABLE GROWTH AND EQUITY, Nova York: United Nations, 28-30 jul. 1997 (Organizado pelo United Nations Center for Human Settlements: HABITAT).

SANP. Governance barometer: Policy guidelines for good governance. South Africa’s National Party, SANP: Johannesburg. Disponível em: http://www.anc.org.za/. Acesso em: 21 maio 2001.

SANTOS, Milton. A aceleração contemporânea: Tempo mundo e espaço mundo. SANTOS, Milton et al. (Org.) Fim de século e globalização. São Paulo: Hucitec/ ANPUR, 1993. p. 15-22.

SEF – Stiftung Entwicklung und Frienden – Development and Peace Foundation. The global governance system: On the concept of global governance. Bonn: SEF, jan. de 2001, Disponível em: http:>www.bicc.de/sef/about/glo-gov.html. Acesso em: 23 maio 2001.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: Conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. São Paulo: Record, 1999.

UNDP – United Nations Development Program. Governance for sustainable human development. Nova York: United Nations, 1997.

UNDP. United Nations Thematic Trust Fund: Democratic Governance (Program description). Nova York: United Nations, 2001.

WEBSTER’S. Third New International Dictionary. Londres: Merriam-Webster, 1986.

WELCH, Carol. The IMF & Good Governance. Friends of the Earth Report. Washington (D.C.): Friends of the Earth, v. 5, n. 13, 2000 (revisado em outubro de 2001).

WILLIAMSON, John (Org.). The political economy of policy reform. Washington: Institute for International Economics, 1994.

WILLIAMSON, John (Org.). What should the bank think about the Washington Consensus? Paper apresentado em conferência preparatória para a elaboração do Relatório de Desenvolvimento Mundial 2000, do Banco Mundial, Washington: World Bank, 1999.

WIPO. GENERAL ASSEMBLY WORKING GROUP ON CONSTITUTIONAL REFORM, Third Session. World Intellectual Property Organization Report, Genebra, 6 a 9 de março, 2001.

WORLD BANK. From crisis to sustainable growth. World Bank Report. Washington D.C.: World Bank, 1989.

WORLD BANK. World Bank in governance: The World Bank experience, Washington D.C.: World Bank, 1994.

Downloads

Publicado

2003-12-01

Como Citar

Campos-Pereira, R. C. R. de. (2003). Governância: de instrumento da democracia à instrumentalização de um conceito. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, (14), 94-109. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i14p94-109

Edição

Seção

Artigos