Os córregos ocultos e a rede de espaços públicos urbanos

  • Vladimir Bartalini Universidade de São Paulo; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Rede hidrográfica, cursos d´água ocultos, paisagem urbana

Resumo

Salvo poucos casos, a hidrografia de nossas cidades não está vinculada a parques ou, genericamente falando, às áreas verdes. A regra, até hoje, é a sobreposição pura e simples, sem a intermediação de áreas verdes, do sistema viário ao sistema hidrográfico. O plano diretor estratégico de 2002, para o município de São Paulo, propõe a correção do modelo usual para os vales que ainda não foram impermeabilizados por avenidas. Sobre esses vales, que compõem a chamada "Rede Hídrica Estrutural", estariam apoiados parques lineares. Cumpre, no entanto, estender esse conceito à "rede hidrográfica capilar". Trata-se de pequenos cursos d'água, a maioria ocultos, cujos únicos vestígios são becos e vielas resultantes de sua canalização e enterramento. Fazer aflorar, se não os córregos propriamente ditos, ao menos sua memória, é um trabalho necessário e possível. Além dos efeitos pedagógicos de trazer à consciência dos habitantes da cidade sua base natural recalcada, pequenas intervenções nessas áreas poderiam recuperar vielas, ruas e becos, hoje escuros, sujos e desertos, integrando-os à paisagem urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTALINI, Vladimir. A municipalização do verde público na cidade de São Paulo: Da administração dos jardins públicos e arborização à subdivisão de Parques, Jardins e Cemitérios. Pós-Revista do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, São Paulo, n. 10, dez. 2001.

BARTALINI, Vladimir. Parques públicos municipais de São Paulo – A ação da municipalidade no provimento de áreas verdes de recreação. 1999. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

EMPRESA MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO. Estudos e diagnósticos das bacias dos córregos Sumaré e Água Preta. Documento interno, s/d.

KAWAI, Célia Seri. Os loteamentos de traçado orgânico realizados no município de São Paulo na primeira metade do século XX. 2001. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

PARKER, Barry. Two years in Brazil. The Garden Cities and Town Planning Magazine, v. IX, n. 8, Aug. 1919.

SÃO PAULO (cidade). O urbanismo do engenheiro Jorge de Macedo Vieira. São Paulo. Edição patrocinada pelo HSBC com apoio da Prefeitura do Município de São Paulo, sem data.

Publicado
2004-12-01
Como Citar
Bartalini, V. (2004). Os córregos ocultos e a rede de espaços públicos urbanos. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, (16), 82-96. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i16p82-96
Seção
Artigos