Desenho industrial: da transmissão à tradução

  • Lucrécia D´Alessio Ferrara Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica
Palavras-chave: Desenho industrial, design, forma, função, valor social

Resumo

Este trabalho busca confrontar o desenho industrial e o design a fim de traçar as diferenças cognitivas que se estabelecem entre ambos. Nesse sentido, observa-se que, se o desenho industrial se define como um índice legítimo da ideologia modernista do século 19 ou, no auge de seu sistema produtivo, como um dos expoentes de uma sociedade de consumo, o design surge como um desafio para uma sociedade pós-industrial que precisa reinventar o valor de troca e redescobrir sua dimensão social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

ARGAN, Giulio Carlo. Projeto e destino. São Paulo: Ática, 2001.

BAUDRILLARD, Jean. Le crepuscule des signes. Kioto: ICSID, 1973.

BAUDRILLARD, Jean.. O sistema dos objetos. São Paulo: Perspectiva, 1973.

BAUDRILLARD, Jean.. Simulacros e simulações. Lisboa: Relógio D´Agua, 1991.

BAUDRILLARD, Jean.. A sociedade de consumo. Lisboa: Ed. 70, 2007.

LOTMAN, Iuri. La semisofera I,II,III. Tradução de Desidério Navarro. Madri: Catedra, 1996.

SIMMEL, George. La tragédie de la culture. Paris: Rivages Poche, 1988.

PEIRCE, Charles Sanders. Collected papers. Hartshorne/Weiss; Burks/Cambridge: Harvard University

Press, 1958.

Publicado
2011-06-01
Como Citar
Ferrara, L. (2011). Desenho industrial: da transmissão à tradução. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 18(29), 68-78. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v18i29p68-78
Seção
Artigos