Os edifícios antigos de arquitetura corrente em centros históricos no contexto do patrimônio cultural: especificidades e condicionantes para projetos de intervenção arquitetônica

  • Fernanda Corrêa Giacomini FAUP; Grupo de Construção
  • Rui Humberto Costa de Fernandes Póvoas FAUP; Grupo de Construção
Palavras-chave: Arquitetura corrente, patrimônio, intervenção, centro histórico, projeto, salvaguarda

Resumo

Os antigos edifícios habitacionais de "arquitetura corrente" são reconhecidos como patrimônio cultural, mas não são obras de arte nem monumentos ou apenas cenário urbano. Possuem características próprias que restringem sua valorização e condicionam as ações de intervenção. Procura-se, aqui, caracterizar esse tipo de edifício, argumentando pela necessidade de considerar suas especificidades no contexto da reabilitação, inclusive nas diretrizes que orientam sua salvaguarda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, José. Estudos cromáticos nas intervenções de conservação em centros históricos: bases para sua aplicação à realidade portuguesa. 1999. Tese (Doutorado) – Departamento de Arquitetura, Universidade de Évora, Évora, 1999. Versão em PDF.

ALONSO-MUÑOYERRO, Susana Mora. Del restauro estilístico al restauro crítico. In: Tratado de rehabilitación. Tomo I: Teoría e Historia de la Rehabilitación. Madri: Ed. Munilla-Lería, 1999. v. 1, p. 33-40.

APPLETON, João A. S. Reabilitação de edifícios antigos: patologias e tecnologias de intervenção. Alfragide: Orion, 2003.

BENJAMIN W. The work of art in the age of mechanical reproduction. Disponível em: http://www.marxists.org/reference/subject/philosophy/works/ge/ benjamin.htm. Acesso em: 12 Jul. 2011.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade; Ed. Unesp, 2001.

COELHO, Antonio Baptista. 20 anos a promover a construção de habitação social: 1984-2004. Lisboa: LNEC, 2006.

COLÓN, Carlos. Necessidad de la belleza: notas sobre la difusión del Patrimonio en la sociedad de la comunicación masiva. PH Boletín, Sevilha: Intituto Andaluz del Patrimonio Historico, 1999. p. 114-119.

DOMINGUES, Álvaro. A rua da estrada: o problema é fazê-los parar! Porto: Dafne, 2010.

FERNANDES, Fátima; CANNATÁ, Michele. Territórios reabilitados. Casal de Cambra: Caleidoscópio, 2009.

FERNANDES, Francisco Barata. Transformação e permanência na habitação portuense: as formas da casa na forma da cidade. 2. ed. Porto: FAUP-Publicações, 1999.

FRAMPTON, Kenneth. Estudios sobre cultura tectónica: poéticas de la construcción en la arquitectura de los siglos XIX y XX. Madrid: Akal, 1999.

FREITAG, Michel. Arquitectura e sociedade. Lisboa: Dom Quixote, 2004.

GIACOMINI, F. C. Além das palafitas: espacialidade de edificações em encosta e sua relação com a legislação de Belo Horizonte. 2005. 256 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Arquiteura, PGAU, Universidade Federal de Minas Gerais, 2005.

GIL, Fernando. Invenção. In: GIL, Fernando; SALSANO, Alfredo. Enciclopédia Einaudi. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2000.

JOKILEHTO, J. A history of architectural conservation: the contribution of english, french, german and italian thought towards an international approach to the conservation of cultural property. 1986. 466 f. PHD (Thesis) – The University of York, England. Institute of Advanced Architectural Studies. Disponível em: http://www.iccrom.org/pdf/ICCROM_05_HistoryofConservation00_ en.pdf. Acesso em: 13 Jul. 2011.

KUBLER, George. A forma do tempo: observações sobre a história dos objetos. Lisboa: Veja, 2004.

LEACH, Neil. A (an)estética da arquitectura. Lisboa: Antígona, 2005.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Lisboa: Edições 70, 2000 (História, v. 1 e Memória, v. 2).

LOPES, Flávio; CORREIA, Miguel Brito. Património arquitectónico e arqueológico: cartas, recomendações e convenções internacionais. Lisboa: Livros Horizonte, 2004.

PAIVA, J. Vasconcelos; AGUIAR, José; PINHO, Ana. Guia técnico de reabilitação habitacional. Lisboa: LNEC, 2006. v. 1-2.

RHEINGANTZ, Paulo Afonso et al. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: PROARQ, 2009.

RIEGL, Alois. El culto moderno de los monumentos, su carácter y sus origenes. Sevilha: Instituto Andaluz del Patrimonio Histórico, 2007.

RODERS, Ana Rita Gomes Mendes Martins Pereira. Re-architecture basis: Lifespan rehabilitation of buit heritage. 2007. PHD (Thesis). Eindhoven: Technische Universiteit Eindhoven, 2007.

RYKWERT, J. A Casa de Adão no Paraíso: a idéia da cabana primitiva na história da arquitetura. Tradução de A. G. de Lima; A. Falbel, M. Goldsztajn e M. D’Agostino. São Paulo: Perspectiva, 2003.

SILVA, Vítor Cóias. Custos e proveitos da autenticidade. In: IFT. Patrimônio e turismo: a filosofia de intervenção, técnicas e custos da recuperação do patrimônio e o seu impacte no turismo. Lisboa: IFT, 2002.

SILVANO, Filomena. Antropologia do espaço, uma introdução. 2. ed. Lisboa: Celta, 2007.

SOLÁ-MORALES, Ignasi. Del Contraste a la analogia: transformaciones en la concepción de la intervención arquitectónica. PH: Boletín del Instituto Andaluz del Patrimonio Histórico, Sevilha, ano IX, n. 37, p. 53- 57, 2001.

TAVARES, Domingos. Francisco Farinhas: realismo moderno. Porto: Dafne, 2008.

ZERBETO, Andrea. Inflação patrimonial: o complexo de Noé da contemporaneidade e as ilusões de eternidade. Arquitexto, São Paulo, n. 87, ano 8, 2007. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq087/ arq087_03.asp. Acesso em: 13 jul. 2011.

VAZQUEZ, Carlos García. La visión culturalista de la ciudad. In: Ciudad hojaldre: visiones urbanas del siglo XXI. Barcelona: Gustavo Gilli, 2004.

Publicado
2011-06-01
Como Citar
Giacomini, F., & Póvoas, R. (2011). Os edifícios antigos de arquitetura corrente em centros históricos no contexto do patrimônio cultural: especificidades e condicionantes para projetos de intervenção arquitetônica. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 18(29), 174-195. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v18i29p174-195
Seção
Artigos