Estilo desornamentado, arquitetura-chã: alguns aspectos do renascimento na Península Ibérica

  • Andrea Buchidid Loewen Universidade de São Paulo; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo; Departamento de História da Arquitetura e Estética
Palavras-chave: Estilo-chão, Estilo desornamentado, Doutrinas arquitetônicas, Tratadística, Renascimento em Portugal

Resumo

No século 16, na Península Ibérica, a assimilação do romano impulsiona uma corrente arquitetônica na qual um progressivo classicismo e o despojamento decorativo anunciam a chegada do chamado Renascimento. Ainda que possuam suas peculiaridades, tanto o estilo-chão português quanto o desornamentado espanhol se apóiam em doutrinas arquitetônicas de origem itálica. Trazidas quer pelos artífices que estiveram em tais terras - ou pelos arquitetos de lá oriundos chamados a trabalhar na Península, quer pelos tratados de arquitetura importados e, posteriormente, traduzidos para o castelhano e o português, tais doutrinas alimentaram, ainda, a publicação de outras significativas obras de sistematização teórica, como a sagrediana Medidas del romano. Este artigo discute tais aspectos do Renascimento na Península Ibérica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-12-01
Como Citar
Loewen, A. (2011). Estilo desornamentado, arquitetura-chã: alguns aspectos do renascimento na Península Ibérica. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 18(30), 56-69. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v18i30p56-69
Seção
Artigos