Princípio da racionalidade e a gênese da cozinha moderna

  • Maria Cecília Naclério Homem Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP
Palavras-chave: Arquitetura – filosofia. Arquitetura – história. Arquitetura – cozinhas – indústria.Arquitetura – moderna – Século 20.

Resumo

A partir de 1930, começam a ser valorizados entre nós os princípios de simplificação do trabalho na indústria e no lar. Os três grandes centros de operações existentes na cozinha, a saber: armazenamento e conservação; limpeza e preparo; cocção e serviço, deviam apresentar-se em superfícies contínuas e compactas, contidas em um espaço menor e mais bem aproveitado, o que veio ao encontro da necessidade de economia de passos e de movimentos do usuário. A cozinha, que girava em torno do triângulo constituído pela pia, pelo fogão e pela geladeira, sem perder de vista a janela, foi sendo enriquecida por uma série de eletrodomésticos de pequeno e grande porte, entre os quais a geladeira elétrica, introduzida a partir de 1927. Mas esse equipamento só se vulgarizaria após a Segunda Grande Guerra, graças ao aperfeiçoamento das formas de energia, como a eletricidade e os derivados de petróleo e à intensificação das atividades industriais e comerciais. Tais fatores ocorreram de modo paralelo ao crescimento do mercado de consumo e da indústria da construção civil, em especial da verticalização, a qual propunha o melhor aproveitamento econômico do espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cecília Naclério Homem, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP
Pesquisadora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP, no Laboratório de Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo (LabFAU-USP) e do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São
Paulo – IEB-USP.
Publicado
2003-06-20
Como Citar
Homem, M. C. (2003). Princípio da racionalidade e a gênese da cozinha moderna. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 13, 124-154. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v13i0p124-154
Seção
Artigos