Edifícios de apartamentos, São Paulo, anos 1950: mercado imobiliário e (um pouco de) arquitetura

  • Felipe Anitelli Universidade de São Paulo (USP)
  • Marcelo Tramontano Universidade de São Paulo (IAU-USP)
Palavras-chave: Arquitetura brasileira. Habitação paulistana. Edifício de apartamentos. Mercado imobiliário. Incorporação imobiliária. São Paulo – décadas de 1940 e 1950.

Resumo

O objetivo deste artigo é entender aspectos da produção de edifícios de apartamentos na cidade de São Paulo, nas décadas de 1940 e 1950, realizada pelos primeiros incorporadores imobiliários. Nessa época, os procedimentos de produção teriam se alterado, e o mercado imobiliário se profissionalizado, com o surgimento de um novo agente centralizador do processo: o incorporador. Ele passa a participar de todas as etapas do empreendimento, desde a escolha e compra do terreno, definição do produto, desenvolvimento dos projetos, aprovações em órgãos públicos, captação de fundos para financiamento da obra, construção do edifício, até a venda das unidades. A escala aumentou, tanto em número de unidades produzida como no volume construído, e os promotores começaram a investir em estratégias de inserção, em um mercado cada vez mais competitivo. O recorte cronológico do trabalho se situa entre os anos de 1942 e 1964, ou seja, entre a promulgação da lei do Inquilinato e a fundação do Banco Nacional de Habitação (BNH). Uma das conclusões importantes deste trabalho é que, com a crescente profissionalização dos agentes imobiliários envolvidos nesse mercado e a busca por empreendimentos cada vez mais baratos, o projeto arquitetônico sofreu uma considerável padronização de suas soluções espaciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Anitelli, Universidade de São Paulo (USP)
É arquiteto e mestre em Arquitetura e Urbanismo (IAU-USP). Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador do Núcleo de Estudos de Habitares Interativos (Nomads.usp). Estuda, atualmente, repercussões de características do desenho do edifício de apartamentos paulistano em projetos empreendidos no Brasil.
Marcelo Tramontano, Universidade de São Paulo (IAU-USP)
É arquiteto, doutor e livre-docente em arquitetura. Professor associado do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP) e coordenador do Nomads.usp. Estuda relações entre a evolução das estruturas familiares, as estruturas sociais e o desenho dos espaços de morar. Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP.
Publicado
2012-06-20
Como Citar
Anitelli, F., & Tramontano, M. (2012). Edifícios de apartamentos, São Paulo, anos 1950: mercado imobiliário e (um pouco de) arquitetura. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 19(31), 66-81. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v19i31p66-81
Seção
Artigos