Continuidade e permeabilidade urbana nos arranha-céus modernos do centro de São Paulo

  • Sabrina Studart Fontenele Costa Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.
Palavras-chave: São Paulo. Arquitetura moderna. Galerias comerciais. Multifuncionalidade. Morfologia urbana.

Resumo

O texto trata da relação intensa que se estabeleceu entre os arranhacéus modernos construídos no centro de São Paulo, entre as décadas de 1930 e 1960, e seu espaço urbano, seja a partir da permeabilidade de suas plantas, da facilidade de acesso aos seus interiores, ou da disposição do programa arquitetônico. O desenho de seus térreos apontou a liberdade de projeto possibilitada pela separação do sistema estrutural das vedações – princípio básico da arquitetura moderna –, o que garantiu novos arranjos espaciais e assegurou a relação de continuidade com o lugar onde se inseriu. Considerando os diversos aspectos de transformação urbana da cidade, das décadas de 1930 a 1960, entre eles, a abertura e alargamento de novas vias e a verticalização do centro da cidade, acredita-se que a escala das novas intervenções urbanas determinou o aparecimento de novos partidos arquitetônicos. A pesquisa parte da análise da legislação existente, da análise urbana e morfológica da área e dos projetos arquitetônicos de um período de grande relevância na história da cidade de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina Studart Fontenele Costa, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.
Mestra e doutora em estruturas ambientais e urbanas, pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Arquiteta e urbanista pela Universidade Federal
do Ceará. Atualmente é professora de História e Projeto no curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da FIAM-FAAM Centro Universitário.

Referências

ALEIXO, Cynthia Augusta Poleto. Edifícios e galerias comerciais: arquitetura e comércio na cidade de São Paulo, anos 50 e 60. 2005. 268p. Dissertação de mestrado - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna: Do iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BILL, Max. O arquiteto, a arquitetura, a sociedade. In: XAVIER, Alberto (org.) Depoimento de uma geração: arquitetura moderna brasileira. São Paulo: Cosac & Naify, 2007. p.158-163.

COSTA, Sabrina Studart Fontenele. Relações entre o traçado urbano e edifícios modernos no Centro de São Paulo: Arquitetura e cidade (1938/1960). 2010. 272p. Tese de Doutorado – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

CUNHA JR, Jaime. Edifício Metrópole: um diálogo entre arquitetura moderna e cidade. 2007. 235p. Dissertação de mestrado – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

FERRONI, Eduardo Rocha. Aproximações sobre a obra de Salvador Candia. 2008. 307p. Dissertação de mestrado – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2008.

GEIST, Johann Friedrich. Arcades: the history of a building type. Massachusetts Institute of Technology, 1983.

HABITAT. Conjunto de Edifícios “Maximus”. Habitat, São Paulo, n. 59, p. 3-9, abril 1960.

HABITAT. Edifício R. Monteiro, São Paulo. Habitat, São Paulo, n.77, p. 17-22, maio-jun. 1964.

LEFEVRE, José Eduardo de Assis. De beco a avenida: a história da Rua São Luiz. São Paulo: Edusp, 2006.

MAIA, Francisco Prestes. Estudo de um Plano de Avenidas para a cidade de São Paulo. São Paulo: Melhoramentos, 1930.

MAIA, Francisco Prestes. Os melhoramentos de São Paulo. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 1945.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Código de Obras Arthur Saboya. Lei n. 3.427, de 19 de novembro de 1929. São Paulo, 1929.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Ato n. 1.366, de 19 de fevereiro de 1938. In: Atos do município de São Paulo do ano de 1938. Atos de 1325 a 1525.x. São Paulo, 1939. p. 56-57.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Decreto-Lei n. 41, de 3 de agosto de 1940. In: Decretos-Leis e Decretos do município de São Paulo do ano de 1940. São Paulo, 1941. p. 42-46.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Lei n. 5.114, de 28 de fevereiro de 1957. In: Decretos- Leis e Decretos do município de São Paulo do ano de 1957. São Paulo, 1957.

TOLEDO, Benedito Lima de. Prestes Maia e a origem do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.

VENTURI, Robert. Complexidade e contradição em arquitetura. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2004.

XAVIER, Alberto; LEMOS, Carlos; CORONA, Eduardo. Arquitetura Moderna Paulistana. São Paulo: Editora Pini, 1983.

Publicado
2012-06-20
Como Citar
Costa, S. (2012). Continuidade e permeabilidade urbana nos arranha-céus modernos do centro de São Paulo. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 19(31), 82-97. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v19i31p82-97
Seção
Artigos