Da Embratur à política nacional de turismo

  • Cristina Pereira de Araujo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP.
Palavras-chave: Turismo. Políticas públicas. Embratur. Prodetur. Plano Nacional de Turismo. Política Nacional de Turismo

Resumo

Este artigo discorre sobre a estruturação da atividade turística, no âmbito das políticas públicas federais. A análise dos diplomas legais concernentes a essa atividade revela seu amadurecimento, diante da reestruturação políticoeconômica recente pela qual o País tem passado, em que se constata um cenário propício ao desenvolvimento dessa atividade. A importância das políticas públicas federais de turismo, enquanto elemento facilitador para a geração de divisas para o País, tem repercutido, de um lado, na evolução da demanda turística, internacional e doméstica, e, de outro, no esforço do governo federal em sistematizá-la, seja para compreender a contribuição dessa na geração de trabalho e renda, seja para compreender o tamanho da oferta. Passados mais de 40 anos da promulgação de seu primeiro diploma legal, é a primeira vez que o turismo no Brasil é visto, de fato, como importante economia geradora de divisas, trabalho e renda, o que tornaria iminente a regulação do setor de uma forma mais contundente e planejada. Tal situação foi expressa, em um primeiro momento, pela criação do Ministério do Turismo, em 2003, e, recentemente, pela promulgação do Decreto n. 7.381, de 2 de dezembro de 2010, que regulamenta a Lei n. 11.771, de 17 de setembro de 2008, a qual estabelece normas sobre a Política Nacional de Turismo e define atribuições do governo federal, no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor, estabelecendo, de forma inédita, a obrigatoriedade de cadastro dos prestadores de serviços turísticos junto do Ministério do Turismo. O artigo está organizado em três partes: a primeira trata das iniciativas de regulação do setor, ainda nos anos 60, e tem na Embratur seu marco principal; a segunda, já nos anos 90, apresenta o Prodetur como importante política pública de fomento à infraestrutura turística e celebração de parcerias público-privadas; e a terceira, já no presente século, apresenta sua atual estruturação, via consecução dos Planos Nacionais de Turismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Pereira de Araujo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP.
Arquiteta e urbanista pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, mestre em Paisagem e Ambiente, doutora em Planejamento Urbano e Regional, ambos pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU/USP, professora universitária e pesquisadora vinculada ao Laboratório de Comércio e Cidade da FAU/USP.

Referências

ARAUJO, Cristina Pereira de. Porto (in)Seguro: a perda do paraíso. Os reflexos do turismo na sua paisagem. 2004, 160 p. Dissertação (Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

ARAUJO, Cristina Pereira de; SILVA, Sérgio Bernardes da. As duas Porto Seguros. In: VALENÇA, Márcio Moraes. CAVALCANTE, Gilene Moura (Orgs). Globalização e marginalidade: transformações urbanas. Natal: EDUFRN, 2008. p. 109-119.

ARAUJO, Cristina Pereira de. GATTAMORTA, Marco Aurélio. SILVA, Sérgio Bernardes da. The Ecological Economical Zooning as an instrument of environmental planning. In: URBENVIRON INTERNATIONAL SEMINAR ON EVIRONMENTAL PLANNING AND MANEGEMENT, 4, 2010. Proceedings… Niterói: UFF, 2010. p 1-18.

ARAUJO, Cristina Pereira de. Terra à vista! O litoral brasileiro na mira dos empreendimentos turísticos imobiliários. 2011, 368p. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

BECKER, Bertha Koiffmann. Levantamento e avaliação da política federal de turismo e seu impacto na região costeira. In: BRASIL, MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA

AMAZÔNIA LEGAL. Série Gerenciamento Costeiro, Brasília, DF: O Ministério, 1995, v 3. 50 p.

BRASIL. Banco do Nordeste do Brasil. Prodetur. s.L.p.: BNB, s.d. Disponível em: http://www.bnb.gov.br/content/aplicacao/PRODETUR/Apresentacao/gerados/apresentacao.asp. s.d. Acesso em: 11 nov. 2010.

BRASIL. Lei n. 8.181, de 28 de março de 1991. Dá nova denominação à Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), e dá outras providências. Brasília, DF, 1991.

BRASIL. Decreto n. 448, de 14 de fevereiro de 1992. Regulamenta dispositivos da Lei n. 8.181, de 28 de março de 1991, dispõe sobre a Política Nacional de Turismo e dá outras providências. Brasília, DF, 1992.

BRASIL. Lei n. 11.771, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre a Política Nacional do Turismo, define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico; revoga a Lei n. 6.505, de 13 de dezembro de 1977, o Decreto-Lei n. 2.294, de 21 de novembro de 1086, e dispositivos da Lei n. 8.181, de 28 de março de 1991; e dá outras providências. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2007.

BRASIL. Decreto n. 7.381, de 2 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei n. 11.771, de 17 de setembro de 2008, que dispõe sobre a Política Nacional de Turismo, define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico e dá outras providências. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2010.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PPA 2004-2007 Espelho de Programas. Brasília, DF: 29 de abril de 2004. 43 p.

BRASIL. Ministério do Turismo. Estudo de competitividade dos 65 destinos indutores do

desenvolvimento turístico regional. Relatório Brasil. Brasília, DF: 2008, 80 p. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/turismo/programas_acoes/regionalizacao_turismo/65destinos.html. Acesso em: 15 nov. 2010.

BRASIL. Ministério do Turismo. Fundação Getúlio Vargas. Documento referencial Turismo no Brasil 2011/

Brasília, DF:2010, 160 p. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/publicacoes/cadernos_publicacoes/19Documento_Referencial.html. Acesso em: 15 nov. 2010.

BRASIL. Ministério do Turismo. Plano Plurianual 2008-2011. Relatório de Avaliação. Exercício 2009, ano base 2008. Brasília, 2009, 41 p. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/relatorios. Acesso em: 17 nov. 2010.

BRASIL. Ministério do Turismo. Plano Nacional do Turismo: diretrizes, metas e programas 2003 – 2007. Brasília, 29 de abril de 2003. 47 p. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/publicacoes/cadernos_publicacoes/02planos_nacionais.html. Acesso em: 23 out. 2006.

BRASIL. Ministério do Turismo. Plano Nacional de Turismo 2007/2010: uma viagem de inclusão. Brasília, 2007. 83 p. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/publicacoes/cadernos_publicacoes/02planos_nacionais.html. Acesso em: 31 mar. 2008.

CRUZ, Rita de Cássia Ariza da. Políticas de Turismo e (re)ordenamento de territórios no litoral do Nordeste do Brasil. 1999, 203 p. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

CRUZ, Rita de Cássia Ariza da. Política de turismo e território. São Paulo: Contexto, 2001. 167 p.

CRUZ, Rita de Cássia Ariza da. (Coord.). Geografias do turismo: de lugares a pseudo-lugares. São Paulo: Roca, 2007. 140 p.

WHITING, Sandra S.; FARIA, Diomira. Avaliação dos impactos ambientais e socioeconômicos do Prodetur I. Preparado para Banco Interamericano de Desenvolvimento. Agosto de 2001. Disponível em: http://iadb.org. Acesso em: 26 out. 2003.

Publicado
2012-06-20
Como Citar
Araujo, C. (2012). Da Embratur à política nacional de turismo. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 19(31), 146-163. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v19i31p146-163
Seção
Artigos