Valor de antiguidade, conservação e restauro

  • Mirandulina Maria Moreira Azevedo Universidade de São Paulo.
Palavras-chave: Monumentos (Conservação), valor de antiguidade, conservação, restauro, teoria do restauro, problemas de restauro, Stimmung.

Resumo

A teoria e a prática da conservação de monumentos de Alois Riegl(1858-1905) está articulada ao valor de antiguidade, noçãofundamental da obra Culto moderno dos monumentos (1903). Adiscussão promovida pelo autor suscita, até hoje, o interesse dosespecialistas em preservação de bens culturais, seja no locus de suaconcepção – a conservação –, seja no terreno da teoria e prática derestauro.A leitura de alguns registros conhecidos de Riegl, em que o autor,diante dos problemas relacionados à prática da conservação de bensculturais, elabora opiniões profissionais com acurado rigor conceitual,levou-nos a identificar uma afinidade maior com a abordagem deproblemas de restauro. É nosso objetivo, neste artigo, expor estaaproximação, tendo por linha mestra o valor de antiguidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirandulina Maria Moreira Azevedo, Universidade de São Paulo.
Arquiteta, mestre e doutora: Universidade de São Paulo (USP). Professora das disciplinas de Teoria da Arquitetura e Urbanismo, Arquitetura Brasileira e Técnicas Retrospectivas daUniversidade Metodista de Piracicaba (Unimep).
Publicado
2012-12-25
Como Citar
Azevedo, M. (2012). Valor de antiguidade, conservação e restauro. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 19(32), 38-61. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v19i32p38-61
Seção
Artigos