[1]
G. Pedrosa, A errância como potência em Dom Quixote, Pós, Rev. Programa Pós-Grad. Arquit. Urban. FAUUSP, vol. 26, nº 49, p. e147568, dez. 2019.