O Estatuto da intencionalidade na obra A Transcendência do Ego, de Jean-Paul Sartre

  • Fabrício Rodrigues Pizelli Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
Palavras-chave: Intencionalidade, Solipsismo, Transcendência, Ego, Sartre

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o estatuto da Intencionalidade empregada por Jean-Paul Sartre para demonstrar as teses defendidas em A Transcendência do Ego. Para isso, polemiza-se com algumas aproximações e diferenças do conceito de Intencionalidade utilizado por Husserl e Sartre, e ressalta-se que a grande discrepância entre estes autores consiste na admissão do “Eu” puro como estrutura imanente à consciência, pois o fluxo da consciência intencional husserliana parte de um “Eu” puro fortemente defendido em Ideias I. Contudo, Sartre radicaliza a Intencionalidade husserliana, ao passo que o “Eu” não será admitido na consciência, ele estará no mundo como um objeto transcendente. Portanto, conclui-se o artigo com a tentativa de esclarecer a necessidade da noção de Intencionalidade como sustentáculo da tese do Ego transcendente e etapa para as três consequências conclusivas de A Transcendência do Ego, a saber: a liberação do campo transcendental; uma tentativa de superar o solipsismo e uma possível refutação do idealismo.

Referências

ALVES, P. M. S. Irrefletido e reflexão: observações sobre uma tese de Sartre. In: SARTRE, J.-P. A Transcendência do ego. Lisboa: Colibri, 1994.
BARATA, A. Metáforas da consciência: da ontologia especular de Jean-Paul Sartre a uma metafísica da ressonância. Porto: Campos das Letras, 2000.
BEAUVOIR, S. A força da idade. Tradução de Sérgio Milliet. 5. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.
CONTAT, M.; RYBALKA, M. Les Écrits de Sartre: chronologie bibliographie commentée. Paris: Gallimard, 1970.
COHEN-SOLAL, A. Sartre: 1905-1980. Tradução de Milton Persson. São Paulo: L&PM, 1986.
COOREBYTER, V. Sartre face à la phénoménologie: autour de “L’intentionnalité” et de “La transcendance de l’Ego”. Bruxelas: Ousia, 2000.
DESANTI, J.-T. Sartre et Husserl ou les trois culs-de-sac de la phénoménologie transcendantale. Le Temps Modernes, Paris, v. 4-5-6, n. 632-633-634, p. 571-584, 2005.
FLAJOLIET, A. La première philosophie de Sartre. Paris: Champion, 2008.
FRAGATA, J. A fenomenologia de Husserl como fundamento da filosofia. Braga: Livraria Cruz, 1959.
___________ . Problemas da Fenomenologia de Husserl. Braga: Livraria Cruz, 1962.
HUSSERL, E. A ideia da fenomenologia. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 2000.
___________ . Investigações lógicas: investigações para fenomenologia e a teoria do conhecimento. Tradução de Pedro M. S. Alves e Carlos Aurélio Morujão. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.
___________ . Investigações lógicas: prolegômenos à lógica pura. Tradução de Diogo Ferrer. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.
___________ . Ideen zu einer reinen phänomenologie und phänomenologischen philosophie. Leiden: Martinus Nijhoff, 1950.
___________ . Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica. Tradução de Márcio Suzuki. 6. ed. Aparecida: Ideias & Letras, 2006
___________ . Lições para uma fenomenologia da consciência interna do tempo. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 1994.
MÉSZÁROS, I. A obra de Sartre: busca da liberdade e desafio da história. Tradução de Rogério Bettoni. São Paulo: Boitempo, 2012.
MOUILLE, J.-M. Sartre: conscience, ego et psychè. Paris: Presses Universitaires de France, 2000.
MOUTINHO, L. D. Sartre: psicologia e fenomenologia. São Paulo: Brasiliense, 1995.
SARTRE, J.-P. A imaginação. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Abril, 1973.
___________ . Diários de uma guerra estranha. Tradução de Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983.
___________ . La transcendance de l’Ego: esquisse d’une description phénoménologique. Paris: J. Vrin, 1966.
___________ . O imaginário: psicologia fenomenológica da imaginação. Tradução de Duda Machado. São Paulo: Ática, 1996.
___________ . O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. Tradução de Paulo Perdigão. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.
___________ . Situations I. Paris: Gallimard, 1947.
SILVA, F. L. Ética e Literatura em Sartre: ensaios introdutórios. São Paulo: Editora Unesp, 2014.
Publicado
2020-05-22
Como Citar
Pizelli, F. (2020). O Estatuto da intencionalidade na obra A Transcendência do Ego, de Jean-Paul Sartre. Primeiros Escritos, (10), 34-56. https://doi.org/10.11606/issn.2594-5920.primeirosescritos.2020.155357
Seção
Artigos