Heterogeneidade estrutural nas relações internacionais da América Latina: um olhar através dos paradigmas de integração regional

  • Leonardo Granato Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política http://orcid.org/0000-0002-0337-7220
  • Ian Rebouças Batista Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política
Palavras-chave: Relações Internacionais, América Latina, Integração Regional

Resumo

O presente artigo busca debater a heterogeneidade que historicamente marca as relações internacionais da América Latina tanto no âmbito nacional quanto no âmbito regional. A proposta é trabalhar a referida heterogeneidade como um fator a ser explicado e como um fator explicativo. No que diz respeito à heterogeneidade como fator a ser explicado, buscaremos as causas de tal fator na condição periférica dependente do continente. Com relação à heterogeneidade como fator explicativo, utilizaremos a heterogeneidade para explicar os entraves à integração regional, ao revisitarmos os paradigmas das propostas na região (velho regionalismo, novo regionalismo e regionalismo pós-liberal) e apontarmos a diversidade de interesses/contextos/desafios, em cada período, nos âmbitos nacional, regional e internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Granato, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política

Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da UFRGS

Ian Rebouças Batista, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da UFRGS

Publicado
2018-04-02
Como Citar
Granato, L., & Batista, I. (2018). Heterogeneidade estrutural nas relações internacionais da América Latina: um olhar através dos paradigmas de integração regional. Brazilian Journal of Latin American Studies, 16(31), 5-29. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2017.133966
Seção
Artigos