Políticas afirmativas regulatórias para a educação hospitalar

um estudo comparativo entre Brasil e Argentina

Palavras-chave: Educação Hospitalar, Direito à Educação, Estudos Comparados, Brasil, Argentina

Resumo

O presente trabalho assume como proposta discutir o direito à educação em ambientes hospitalares, tanto no Brasil como na Argentina. Mediante uma pesquisa comparativa entre as políticas afirmativas e regulatórias, constatou-se que o principal encontro entre educação e saúde se dá através da proteção das crianças, jovens e adolescentes ao seu desenvolvimento e aos processos cognitivos e afetivos de construção de seu aprendizado, prescritos em leis de caráter nacional. Porém, enquanto o Brasil inscreve a Classe Hospitalar dentro da modalidade da Educação Especial, na Argentina esta é reconhecida como modalidade própria (Educação Hospitalar e Domiciliar), com fins e objetivos específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Cristiane Maraschin Bruscato, Universidade Federal de São Paulo

Doutora em Educação pelo PPGEdu/FACED/UFRGS, na linha de pesquisa Políticas e Gestão de Processos Educacionais. Pedagoga Coordenadora da Classe Hospitalar do Hospital São Paulo, vinculada ao Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP.

Referências

ARGENTINA. Ley 1420/1884 de Educación. Disponível em: Acesso em 14.8.2019

ARGENTINA. Constituição (1853). Constitución de la nación Argentina: texto oficial de 1853 con las Reformas de 1860, 1866, 1898, 1957 y 1994 ordenado por ley 24.430. Buenos Aires: Astrea, 1995.

ARGENTINA Ley 23.849/1990. Disponível em: <http://www.gob.gba.gov.ar/legislacion/legislacion/l-23849.html> Acesso em 28.10.2018

ARGENTINA. Constitución de la Nación Argentina (1994) Disponível em: <https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/BDL/2001/0039.pdf> Acesso em 25.9.2018

ARGENTINA. Ley de los Derechos de Niños, Niñas y Adolescentes. Ley N° 26.061/2005, Buenos Aires: Congreso de la Nación, 2015. Disponível em: <https://www.educ.ar/recursos/118943/leynacional-26061-de-proteccion-integral-de-los-derechos-de-ninosninas-y-adolescentes> Acesso em 05. abril. 2019.

ARGENTINA. Ley de Educación Nacional. LEY N° 26.206/2006. Disponível em: http://www.me.gov.ar/doc_pdf/ley_de_educ_nac.pdf Acesso dia 16.10.14

AZEVEDO, J. A Educação como Política Pública. Campinas: Autores Associados,1997.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1987.

BRASIL. Decreto 1.044/1969. Dispõe sobre tratamento excepcional para os alunos portadores das afecções que indica. Disponível em: <https://www.jusbrasil.com.br/topicos/12044088/artigo-1-do-decreto-lei-n-1044-de-21-de-outubro-de-1969> Acesso em 28.08.2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (CF1998). São Paulo: Revista dos Tribunais, 1996.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente – Lei 8.069/1990. Brasília, 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm> Acesso dia 28.05.2019

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em <http://www.mec.gov.br/ldb>. Acesso em 28.08.2017.

BRASIL. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Direitos da criança e do adolescente hospitalizados. Resolução n. 41, de 13/10/1995. Brasília/DF: Imprensa Oficial, 1995

BRASIL. Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. Brasília: MEC/SEESP. 2002

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Lei 13.716/2018. Altera a Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em <http://www.mec.gov.br/ldb>. Acesso em 28.08.2019.

BRUSCATO, Andrea. Políticas educacionais para crianças de zero a cinco anos, na Argentina, Brasil e Uruguai (2001-2014): um estudo comparativo. 2017. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2017.

CAMPOS, Claudinei. Método de Análise de Conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Rev Bras Enferm, Brasília (DF) 2004 set/out;57(5):611-4. Disponível em: Acesso em 27.11.2018.

CURY, C.J. O DIREITO À EDUCAÇÃO: Um campo de atuação do gestor educacional na escola. IN: Escola de Gestores. MEC. S.d. Disponível em: <http://escoladegestores.mec.gov.br/site/8-biblioteca/pdf/ jamilcury.pdf> Acesso em 08.agosto.2019

DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de papel. 5ª. ed. São Paulo: Ática, 1994.

FERRER, F. La educación comparada actual. Barcelona: Ariel, 2002.

FONSECA, Eneida S. Classe hospitalar: uma modalidade válida da educação especial no atendimento precoce? In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PESQUISA EM EDUCACAO ESPECIAL, 5. Niterói, 1996. Anais. Rio de Janeiro: UFF, 1996. p.37

FONSECA, Eneida S. Classe hospitalar: ação sistemática na atenção às necessidades pedagógico-educacionais de crianças e adolescentes hospitalizados. Temas sobre Desenvolvimento, v.8, n.44, p.32-37, 1999.

FONSECA, E.S.. Atendimento escolar no ambiente hospitalar. Ed. Menon, São Paulo. 2003. In: O professor e sua prática no ambiente hospitalar. Disponível em:< www.pucpr.br/eventos/educere/educere2007/.pdf> Acesso em maio de 2019. p. 59

FONTES, R. A escuta pedagógica à criança hospitalizada: discutindo o papel da educação no hospital. Rev Bras Educ. Rio de Janeiro 2005 mai-ago; Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttex&pid=S1413-24782005000200010> Acesso em novembro de 2018.

FONTES, R. Classe hospitalar e atendimento escolar domiciliar: direito de crianças e adolescentes doentes. Revista Educação e Políticas em Debate – v. 4, n.1 – jan./jul. 2015

MÁRQUEZ, A. D. Educación comparada: teoria y metodologia. Buenos Aires, Argentina: El Ateneo, 1972.

MULLER, Pierre; SUREL, Yves. Análise das políticas públicas. Pelotas, EDUCAT, 2002.

OLIVEIRA, Samuel Antonio Merbach de. Norberto Bobbio: teoria política e direitos humanos. Rev. Filos., v. 19, n. 25, p. 361-372, jul./ dez. 2007

REBELLATO, J. L. Globalización neoliberal, ética de la liberación y construcción de la esperanza. Montevideo: Nordan, 2000.

RIBEIRO C; BORBA R. Crescimento e desenvolvimento. In: SANTOS, L. Creche e pré-escola: uma abordagem de saúde. São Paulo: Artes Médicas; 2004. p.83-113.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Bruscato, A. (2019). Políticas afirmativas regulatórias para a educação hospitalar. Brazilian Journal of Latin American Studies, 18(35), 120-131. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2019.161722
Seção
Artigos