O contexto político da produção de Ignacio Martín-Baró

Palavras-chave: Ignacio Martín-Baró, América Latina, Libertação Nacional

Resumo

Desde a década de 1970 a obra de Ignacio Martín-Baró pode ser considerada um ponto de inflexão no pensamento social latino-americano, com destaque para o campo da psicologia. Sob forte influência de autores ligados à discussão de Libertação Nacional em todos os rincões da América Latina, os escritos de Martín-Baró, foram formulados mediante o ascenso da guerra civil na América Central e da luta pela redemocratização na América do Sul. É nesse sentido que o presente artigo, a partir do método do materialismo histórico e dialético, busca apresentar os postulados do intelectual espanhol por meio das bases materiais e dos debates políticos vinculados a um contexto histórico que determinaram o desenvolvimento, e sobretudo, a radicalização de seus pressupostos. Assim, a obra de Martín-Baró é apresentada ao leitor como uma obra inalienável à situação conjuntural-estrutural da realidade objetiva da América Latina, durante as décadas de 1970 e 1980, sendo seu pensamento parte da crítica de Libertação Nacional que marcou o debate político das organizações populares e partidários naquele período.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gisele Costa, Universidade Federal do Amazonas

Mestre em Ciência. Professora na Universidade Federal do Amazonas. Doutoranda em Ciência
pelo Programa de Pós-Graduação Integração da América Latina, da Universidade de São Paulo. E-mail: giseleccosta@usp.br 

Marilene Proença Rebello de Souza, Universidade de São Paulo

Doutora em Psicologia. Professora do Instituto de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação
Interunidades em Integração da América Latina – Universidade de São Paulo.  E-mail: marileneproenca@gmail.com 

Referências

CHOMSKY, Noam., El contexto sócio-político del asesinato de Ignacio Martín-Baró. In Blanco, A. (Org), Psicologia de la Liberación. Madrid: Editorial Trotta, 1998 p. 343-355.

DE LA CRUZ, Miguel. La educación y la guerra en El Salvador. Nueva Antropología vol. 06, p. 83-94, jun.1983. n.º 21. Disponível em https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=15962106 Acesso em 12 jan.2020.

DOBLES, Ignacio Opereza. Ignacio Martín-Baró: una lectura en tiempos de quiebres y esperanzas San José: Arlekín, 2016.

DUSSEL, Enrique. De Medellín a Puebla: Uma década de sangue e esperança. São Paulo: Loyola, 1981

FALS BORDA, Orlando. Ciencia, Compromisso y Cambio Social. Buenos Aires: El Colectivo Lanzas y Letras Extensión Libros, 2012

FERNANDES, Florestan. Capitalismo Dependente e as Classes Sociais na América Latina. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FRENTE FARABUNDO MARTÍ DE LIBERTAÇÃO NACIONAL Programa do Governo Democrático Revolucionário In LÖWY, M. (Org). O Marxismo na América Latina: uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo. Perseu Abramo, 1999 p. 368-369.

FUKUYAMA, Francis. O fim da História e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

GRACO, Fernando. A Brigada Simón Bolívar. Revista Marxismo Vivo, São Paulo v.9 nº. 21, p. 62-67, jul. 2009. Disponível em https://archivoleontrotsky.org/view?mfn=8363 Acesso em 17 jan.2020.

LÖWY, Michael. O Marxismo na América Latina - uma antologia de 1909 aos dias atuais, 2ª edição. São Paulo, Perseu Abramo, 2012.

MARINI, Ruy. Mauro. Dialética da Dependência. Petrópolis: Vozes, 2000

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. La Teoria del conhecimento según el materialismo dialéctico. Dissertação de Mestrado. Universidad Centroamericana – José Simeón Cañas (UCA), San Salvador, 1963. Disponível em: http://www.uca.edu.sv/coleccion-digital-IMB/articulo/la-teoria-del-conocimiento-del-materialismo-dialectico/ Acesso em: 17 jun. 2020.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. Quien es pueblo?: reflexiones para una definición del concepto de pueblo. San Salvador: ECA, 1974. Disponível em http://www.uca.edu.sv/coleccion-digital-IMB/articulo/quien-es-el-pueblo-reflexiones-para-una-definicion-del-concepto-de-pueblo/ Acesso em: 17 jun. 2020.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. Conscientización y Currículos Universitarios. In: BLANCO, Amalio. (Org.). Psicología de la Liberación. Madrid: Editorial Trotta, 1998, p.131-159.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. O Papel do Psicólogo In: Estudo de Psicologia v.2, nº1, p. 7-27, 1996. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X1997000100002. Acesso em 15 fev.2020.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. O desafio popular à Psicologia Social na América Latina In LACERDA JÚNIOR, F. (Org). Crítica e Libertação na Psicologia: Estudos psicossociais. Petrópolis: Vozes, 2017.

MARX, Karl. Grundisse, São Paulo: Boitempo, 2013.

PRENDES, Jorge Cárceres. Radicalismo político em los estudiantes de la Universidad de El Salvador durante el siglo XX. La Federación de Estudiantes Universitarios Social Cristianos. In ÁVILA, Jorge Juárez (Org.) Historia y debates sobre el conflicto armado salvadoreño y sus secuelas. San Salvador: Fundación Friedrich Ebert, p.45-53.

ROSENMANN. Marcos Roitman. Pensar América Latina: el Desarrollo de la sociologia latino americana - Buenos Aires: CLACSO, 2008.

SANTOS, Theotonio. Las crisis de la teoria del desarrollo y las relaciones de dependência en América Latina. In: JAGUARIBE, Hélio. [Org] La dependência político-económica de América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2017 p.125-156.

SILVA, Márcio Bolda. A filosofia da libertação: a partir do contexto histórico-social da América Latina. Roma: Gregorian University Press, 1998.

TAMAYO, Juan José. La teología de la liberación: En el nuevo escenario político y religioso. Valencia: Tirant Lo Blanch, 2011

Publicado
2020-07-01
Como Citar
Costa, G., & Souza, M. P. (2020). O contexto político da produção de Ignacio Martín-Baró. Brazilian Journal of Latin American Studies, 19(36), 19-39. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2020.167973
Seção
Artigos