Brasil e Argentina: os discursos sobre as regiões semiáridas do Ceará e de Santiago del Estero nos periódicos Correio da Manhã e El Mundo(1932-1937)

Palavras-chave: Semiárido, Discurso, Modernidade

Resumo

Na América Latina, países são acometidos pelo fenômeno das estiagens e são compostos por áreas semiáridas, como são os casos do Brasil e da Argentina. Respectivamente no Ceará (nordeste brasileiro) e em Santiago del Estero (noroeste argentino) a seca perpassa a história dessas regiões ao longo dos séculos. Para este trabalho, pretende-se analisar os discursos em torno das secas que ocorreram no Ceará e em Santiago del Estero na década de 1930, sob a ótica da imprensa das capitais nacionais. Especificamente analisaremos as narrativas do Correio da Manhã, do Rio de Janeiro, para o caso cearense, e do jornal El Mundo, de Buenos Aires, para o caso de Santiago del Estero. Interessa-nos, particularmente, compreender como ainda na década de 1930 na América Latina, tendo como enfoque uma história regional, os discursos sobre as áreas do interior vinculavam-se às ideias de progresso e de modernidade que estiveram no bojo da imagem de nação cunhada no século XIX, e que deixaram grande vestígio no século XX. Assim, propomos refletir como os discursos constroem percepções do social e são legitimadores, sobretudo, de domínio e poder político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leda Agnes Simões de Melo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em História Social pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da FFP/Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em 2020. Mestre em Ciências Sociais pelo CPDA/Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, em 2015. Bacharel e Licenciada em História pelaUniversidade Federal Fluminense,
em 2011.E-mail: ledagnes@hotmail.com 

Referências

Aspectos dantescos do flagelo. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, Ano XXXI, nº11458, 20 de abril de 1932.

A dolorosa retirada das infelizes famílias sertanejas para a capital do Estado. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, Ano XXX, nº10.966, 21 de setembro de 1930.

Niños muertos por falta de agua. El Mundo, Buenos Aires: Año X, 20 de diciembre 1937.

Huyendo del desastre empiezan a llegar a Santiago numerosos pobladores de toda la Campaña. El Mundo. Buenos Aires: Año X, 27 de diciembre de 1937.

REFERÊNCIAS

AB’SÁBER, Aziz Nacib. Sertões e sertanejos: uma geografia humana sofrida. Dossiê Nordeste Seco. Revista Estudos Avançados 13 (36), São Paulo, pp.7-59, 1999. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-40141999000200002. Acesso em 29 de maio 2020.

ANDERMANN, Jens. El infierno santiagueño: sequía, paisaje y escritura en el Noroeste argentino. Iberoamericana, XII, 45, (2012), pp.23-43. Disponível em: https://doi.org/10.5167/uzh-71180. Acesso em 28 de maio 2020.

ANDRADE, Manuel Correia de. O Nordeste e a questão regional. São Paulo: Editora Ática S.A, 1988.

ANDRADE, Manuel Correia de. Paisagens e problemas do Brasil. (Aspectos da vida rural brasileira frente a industrialização e ao crescimento econômico). 5 ª Ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1977.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. [tradução feita a partir do francês por Maria Emsantina Galvão G. Pereira revisão da tradução Marina Appenzellerl.]. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997 (Coleção Ensino Superior).

BARROS, José D’Assunção. História Comparada. Petrópolis: Ed. Vozes, 2014.

BARROS, José D’Assunção. História Comparada – um novo modo de ver e fazer a História - Revista de História Comparada, volume 1, número 1, jun./2007, pp.1-30. Disponível em: http://www.ppghc.historia.ufrj.br/index.php/destaque/publicacoes/revista-de-historiacomparada. Acesso em 12 de maio 2020

BOBBA, María Elvira. Causas de las sequias de la región del NOA (Argentina). Revista Geográfica de América Central. Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011, p.1-19. Disponível em: https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2498. Acesso em 23 de maio 2020

CADERNOS DE COMUNICAÇÃO, Série Memória. Correio da Manhã compromisso com a verdade. Rio de Janeiro: Prefeitura da cidade do Rio. Secretaria Especial de Comunicação Social, 2001. Disponível em: http://www0.rio.rj.gov.br/arquivo/publicacoes-cadernos-sub-memoria.html. Acesso em 25 de maio 2020

CAMPOS, Raquel Discini de. A educação do corpo feminino no Correio da Manhã (1901-1974): magreza, bom gosto e envelhecimento. Cadernos Pagu (45), julho-dezembro de 2015, pp.457-478. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/18094449201500450457. Acesso em 16 de maio 2020

CAMPOS, Raquel Discini de. Floriano de Lemos no Correio da Manhã, 1906-1965. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.20, nov. 2013, p.1333-1352. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-59702013000400013. Acesso em 15 de maio 2020

CARBONARI, María Rosa. De cómo explicar la región sin perderse en el intento. Repasando y repensando la Historia Regional. História Unisinos 13(1):19-34, Janeiro/Abril 2009. Disponível em: doi: 10.4013/htu.2009.131.02

CAPELATO, Maria Helena Rolim. “A imprensa como fonte e objeto de estudo para o historiador.” In: VILLAÇA, Mariana; PRADO, Maria Ligia Coelho (Org.). História das Américas: fontes e abordagens historiográficas. 1ed.São Paulo: Humanitas, 2015, v. 1, p. 114-136.

CARDOSO JR, H. R. O CONCEITO DE REGIÃO E PROBLEMAS FILOSÓFICOS: Significado epistemológico da história regional e a constituição histórica do “espaço liso” e do “espaço estriado”. Revista Tempo, Espaço e Linguagem (TEL), v. 2 nº 3 p.07-21 Set./Dez. 2011. Disponível: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/tel/issue/view/270. Acesso em 05 de maio 2020

CASTRO, Josué de. Geografia da fome (Dilema brasileiro: pão ou aço). 10ª Ed. Rio de Janeiro: Revista Antares, 1984.

CATTARUZZA, Alejandro. Historia de la Argentina (1916-1955). 1ª ed. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2009.

DUQUE, Guimarães. O Nordeste e as lavouras xerófilas. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil. 2004.

FREITAS, Ana Paula Saraiva. A presença feminina no cangaço: práticas e representações (1930-1940). Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2005. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/93408. Acesso em 02 de jun. 2020

GEREMEK, Bronislaw. Os filhos de Caim. Vagabundos e miseráveis na literatura europeia 1400-1700. Tradução do polonês Henryk Siewierski – São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GIRBAL-BLACHA, Noemí María. Riqueza, poder y control social. Acerca de las estrategias empresariales agrarias en la Argentina (1900-1950). Anuario IEHS. No 18, Tandil, UNCPBA, 2003, pp.367-395

GOMES, Paulo César da Costa. “O conceito de região e sua discussão.” In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo César da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato(Org.),Geografia: conceitos e temas. 2ª ed – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,2000, pp.49-76.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, Enxada e Voto. O município e o regime representativo no Brasil. 7ª edição. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

LUCA, Tânia Regina de. “Fontes impressas: história dos, nos e por meio dos periódicos”. In: MOREIRA, Ruy. Da região à rede e ao lugar: a nova realidade e o novo olhar geográfico sobre o mundo. Revista etc..., espaço, tempo e crítica. N° 1(3), VOL. 1, 1° de junho de 2007, pp.55-70. Disponível em: http: //www.uff.br/etc. Acesso em 05 de jun. 2020

MIGNOLO, Walter D. “Educación y decolonianidad: aprender a desaprender para poder re-aprender.” En: GIULIANO, Facundo. Rebeliones éticas, palabras comunes. Conversaciones (Filosóficas, Políticas, Educativas). Buenos Aires: Colección Educación: Otros Lenguajes. Miño y Dávila. Editores, 2017.

MIGNOLO, Walter D. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, setembro 2005, pp. 33-49. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lander/pt/lander.html. Acesso em 03 de jun. 2020

NEVES, Frederico de Castro. Getúlio e a seca: políticas emergenciais na era Vargas. Revista Brasileira de História. v. 21, nº40, SP, 2001, pp. 107-131. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-01882001000100006. Acesso em 05 de jun. 2020

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, setembro 2005. pp.107-130. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lander/pt/lander.html. Acesso em 10 de jun. 2020

RIBEIRO, Rafael Winter. Seca e Determinismo: a Gênese do Discurso do Semiárido Nordestino. Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ, Volume 22 / 1999, pp. 60-91. Disponível em: http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/anigeo/issue/view/239. Acesso em 20 de jun. 2020

RIOS, Kênia de Sousa. Isolamento e poder: Fortaleza e os campos de concentração na seca de 1932. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2014.

SARLO, Beatriz. Modernidad periférica: Buenos Aires 1920-1930. 1ª ed. 3ª reimp. Buenos Aires: Nueva Visión, 2003.

TASSO, Alberto & ZURITA, Carlos. Aves de paso. Los trabajadores estacionales de Santiago del Estero. Trabajo y Sociedad, nº 21, Invierno 2013, Santiago del Estero, Argentina, pp.33-47. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=387334693004. Acesso em 22 de jun. 2020

TASSO, Alberto. La protesta de agua. Una movilización de agricultores santiagueños en 1926. Sociohistórica, 2000, Nro. 7, pp. 145-180. Disponível em: http://www.sociohistorica.fahce.unlp.edu.ar/. Acesso em 25 de jun. 2020.

TASSO, Alberto & ZURITA, Carlos. Un caso de expansión agraria seguido por depresión. Santiago del Estero, 1870-1940. POBLACIÓN Y SOCIEDAD Nº 10/11, 2003-2004, pp.109-136. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/ejemplar/248320

Publicado
2020-07-01
Como Citar
Melo, L. A. S. de. (2020). Brasil e Argentina: os discursos sobre as regiões semiáridas do Ceará e de Santiago del Estero nos periódicos Correio da Manhã e El Mundo(1932-1937). Brazilian Journal of Latin American Studies, 19(36), 115-142. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2020.167978
Seção
Artigos