O TRATADO DA ANTÁRTICA: PERSPECTIVAS TERRITORIALISTA E INTERNACIONALISTA

  • Friederick Brum Vieira Programa Interunidades em Integração da América Latina. Universidade de São Paulo.
Palavras-chave: América do Sul, Relações Internacionais, Geopolítica.

Resumo

Enquanto fenômeno das relações internacionais, o Tratado da Antártica pode ser
explicitado por dois grandes vieses: o geopolítico e o jurídico. Argumenta-se que o continente antártico
expressa interesses geopolíticos de Estados que reivindicam fatias de seu território, numa perspectiva chamada de “territorialista’’, mas que tais interesses são condicionados juridicamente por norma internacional através de uma outra perspectiva, denominada de ‘’internacionalista’’. Assim, o Tratado da Antártica agiria como um aliviador de tensões que, sem negar as reivindicações territoriais sobre o território antártico, as eclipsaria ao traduzir a questão num contexto marcado pela paz, pela ciência e pela cooperação internacional. Este trabalho busca refletir sobre essa hipótese e antecipar algumas das premissas sobre as quais se baseia o projeto de pesquisa de doutorado do autor, cujo objeto são as demandas de Estados latino-americanos sobre a Antártica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-12-01
Como Citar
Vieira, F. (2006). O TRATADO DA ANTÁRTICA: PERSPECTIVAS TERRITORIALISTA E INTERNACIONALISTA. Brazilian Journal of Latin American Studies, 5(9), 49-82. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2006.81808
Seção
Artigos