A Psicologia da Universidade de São Paulo e as relações raciais: perspectivas emergentes

  • Lia Vainer Schucman Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia
  • Sylvia da Silveira Nunes Universidade Federal de Itajubá
  • Eliane Silvia Costa Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia
Palavras-chave: racismo, relações raciais, pós-graduação, psicologia

Resumo

O presente artigo visa apresentar a produção acadêmica sobre o tema raça e racismo elaborada no Instituto de Psicologia da USP (IPUSP). Para tanto, fizemos uma análise das teses e dissertações produzidas no IPUSP entre 1970 e 2012 e que utilizaram essas categorias para compreensão de fenômenos subjetivos, sociais e políticos. Dentre outros aspectos, constatamos que os trabalhos analisados se dividem principalmente em três grandes eixos, são eles: denúncia do racismo, modos de subjetivação do racismo e estratégias para superá-lo. No entanto, é possível considerar que são poucos os trabalhos que versam de forma sistemática acerca da desconstrução do racismo, bem como sobre metodologias e técnicas em que psicólogos poderiam contribuir para a luta antirracista na sociedade brasileira. Por assim dizer, ainda há uma lacuna no conhecimento de Psicologia e relações raciais que deveria ser aprofundado por psicólogos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-04-01
Como Citar
Schucman, L., Nunes, S., & Costa, E. (2017). A Psicologia da Universidade de São Paulo e as relações raciais: perspectivas emergentes. Psicologia USP, 28(1), 144-158. https://doi.org/10.1590/0103-6564a20132413
Seção
Artigos Originais