Entre filosofia e ciência

o problema do naturalismo na psicologia de Carl Gustav Jung

Palavras-chave: C. G. Jung, história da psicologia, naturalismo, filosofia, ciência

Resumo

O pensamento de Carl Gustav Jung é marcado pela complexidade e por um diálogo contínuo entre ciência e filosofia. Seus posicionamentos teóricos, por vezes incompreendidos, levaram-no a constantes embates em defesa do empirismo e dos fundamentos do pensamento científico moderno, muitas vezes através da crítica a pressupostos que ele considerava indemonstráveis. Essa trajetória apresenta, todavia, uma série de dificuldades. Através da noção de naturalismo, este ensaio busca indicar uma via de análise dessa complexidade. Com efeito, podemos discernir duas noções distintas, mas complementares de naturalismo na obra de Jung: um naturalismo metodológico, que o mantém próximo do pensamento científico de sua época, e um naturalismo ontológico, que o alinha ao pensamento romântico e à Naturphilosophie, implicando considerações teóricas que o distanciavam de seus contemporâneos. Coordenar essas duas visões do naturalismo foi certamente um problema para Jung, e é um desafio para a compreensão de seu pensamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-22
Como Citar
Gewehr, R. (2019). Entre filosofia e ciência. Psicologia USP, 30, e160020. https://doi.org/10.1590/0103-6564e20160020
Seção
Artigos