Discutindo a clínica e o tratamento da toxicomania

dos discursos à constituição subjetiva

Palavras-chave: toxicomania, psicanálise, modo capitalista de produção

Resumo

A toxicomania como estilo subjetivo é uma denegação do laço social fálico em que o tóxico serve para mais-gozar numa unidade eu-Outro. Numa cultura marcada pelo mais-além do princípio de prazer, a felicidade está no consumo de objetos feitos para gozar, assim, o uso de drogas tornou-se um sintoma social do Discurso do Capitalista. Dada a complexidade do assunto, este artigo fundamentado na psicanálise de Freud e Lacan objetiva abordar a toxicomania sob algumas perspectivas preliminares de compreensão do fenômeno e seu tratamento. Se o toxicômano cede do seu desejo, como ele fará frente a esse gozo aniquilador encontrado na droga? O que lhe prenderá à vida? Procuramos responder essas perguntas. Um tratamento possível consiste em oferecer ao sujeito, por meio da fala, novos registros de gozo intermediados pela linguagem, capazes de competir com o gozo do corpo, não visando interditar o consumo, mas diversificar a demanda.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-22
Como Citar
Shimoguiri, A. F., Costa, M., Benelli, S. J., & Costa-Rosa, A. (2019). Discutindo a clínica e o tratamento da toxicomania. Psicologia USP, 30, e180014. https://doi.org/10.1590/0103-6564e180014
Seção
Artigos