Clínica e transferência na sombra do discurso: uma analítica da subjetividade

  • Marlene Guirado Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Universidade de São Paulo

Resumo

O presente artigo visa a demonstrar a centralidade do conceito de transferência para a clínica da psicanálise, por razões teóricas e éticas. Teóricas: sendo a transferência, nas palavras de Freud e, segundo psicanalistas em pesquisas recentes, a condição de análise, o paciente é concebido pelo analista como aquele que tem determinado funcionamento inconsciente, modos de resistência e elaboração, conflitos e repressões, e assim por diante, dependendo da psicanálise professada. Éticas: apesar de ter sido formulado no início dos estudos e atendimentos clínicos com casos de histeria, o conceito ganhou contornos definidos na década de 1910, no contexto de textos de recomendações à conduta dos médicos em seu trabalho. Tal análise sobre a clínica psicanalítica nos foi facultada pela instrumentação da Análise Pragmática do Discurso, de Maingueneau (discurso como ato de fala, cenografia e gênero discursivo), como parte de uma estratégia metodológica geral, a Análise Institucional do Discurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-04-01
Como Citar
Guirado, M. (2015). Clínica e transferência na sombra do discurso: uma analítica da subjetividade . Psicologia USP, 26(1), 108-117. https://doi.org/10.1590/0103-656420140022
Seção
Artigos Originais