Transe, sacrifício, comunhão e poder no Xangô de Pernambuco

Autores

  • Roberto Motta Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Ciências Sociais

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.1991.111293

Palavras-chave:

sacrifício, xangô, transe, identidade, cultura popular, religiosidade

Resumo

Este artigo quer demonstrar que o transe e o sacrifício nos Xamás de Recife realizam uma "equação" através da qual a personalidade do devoto se funde com a personalidade do santo. Essa fusão representa uma tentativa de superar a pobreza e a aflição. Mais do que qualquer função econômica. psicológica, medicinal e educativa, o transe e o sacrifício são "bons para ser".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Motta, Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Ciências Sociais

Professor do Departameoto de Ciênc1as Sociais da Universidade Federal de Pernambuco

Downloads

Publicado

1991-12-30

Como Citar

Motta, R. (1991). Transe, sacrifício, comunhão e poder no Xangô de Pernambuco. Revista De Antropologia, 34, 131-142. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.1991.111293

Edição

Seção

Artigos