Tecendo o mundo e as origens da vida como a conhecemos: noções de crescimento, fabricação e reprodução nos mitos de origem yukpa

  • Ernst Halbmayer Marburg University
Palavras-chave: Yukpa, mitos de origem, processos-vitais, habilidade, fabricação, crescimento, reprodução, vida como uma atividade relacional localizada, vida como transformação metamórfica cíclica.

Resumo

Este artigo aborda o sentido da vida entre os Yukpa tal como descrito e verbalizado em seus mitos de origem. Os mitos yukpa transmitem conhecimentos particularmente conceitualizados sobre os processos vitais, em parte concebidos como uma forma de arte que requer grande habilidade,  e sobre as transformações que criam as condições e as formas da vida como a conhecemos. Ao focalizar os processos que criam a vida como ela é conhecida hoje, os processos vitais do crescimento, da fabricação e da reprodução são identificados e diferenciados. Argumenta-se que os processos vitais entre os Yukpa ultrapassam a reprodução biológica e autorreferenciada das diferentes espécies, e também as atividades instrumentais da fabricação.  A vida é conceitualizada seja como uma atividade relacional espacializada e continuamente localizada, seja como transformações metamórficas cíclicas.  Da perspectiva localizada, que consiste em sair ou desaparecer de uma atividade relacional, estão as formas de morrer ou nascer. A vida nesse sentido metamórfico inclui a existência continuada em mundos coexistentes. Um fim definitivo da vida ocorrerá apenas se estas transformações metamórficas e cíclicas chegarem a um termo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-06-28
Como Citar
Halbmayer, E. (2016). Tecendo o mundo e as origens da vida como a conhecemos: noções de crescimento, fabricação e reprodução nos mitos de origem yukpa. Revista De Antropologia, 59(1), 145-179. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2016.116915
Seção
Seres vivos e artefatos: imbricação de processos vitais e técnicos na Mesoamérica e nas terras baixas da América do Sul