Corpos sonoros: instrumentos e donos na prática musical dos Kuikuro do alto Xingu

  • Tommaso Montagnani Centre National de la Recherche Scientifique. Laboratoire d’Anthropologie Sociale
Palavras-chave: Kuikuro, música, alto Xingu, artefatos, vida.

Resumo

Procuro descrever neste artigo o modo pelo qual uma prática musical instrumental kuikuro repousa sobre a atribuição aos artefatos de uma forma de vitalidade. Os instrumentos musicais (flauta Kagutu, flauta dupla Atanga, clarinete Takwara), ao longo de seu ciclo vital, recobram uma função de mediação no estabelecimento da conexão entre humanos e espíritos.  Os humanos fazem oferendas de alimentos e de água aos instrumentos, ao passo que os instrumentos, manipulados pelos músicos rituais, fazem-se portadores da voz dos espíritos. A complexidade de ações rituais em torno dos artefatos musicais é particularmente visível quando observamos o sistema de atribuição de diferentes papéis de “donos” (-oto). Vários tipos de atores rituais intervêm de maneira diferente ao longo das etapas de existência do instrumento, estando eles mesmos submetidos à influência direta do artefato em suas vidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-06-28
Como Citar
Montagnani, T. (2016). Corpos sonoros: instrumentos e donos na prática musical dos Kuikuro do alto Xingu. Revista De Antropologia, 59(1), 201-223. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2016.116917
Seção
Seres vivos e artefatos: imbricação de processos vitais e técnicos na Mesoamérica e nas terras baixas da América do Sul