Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Antropologia e sociobiologia: breve crônica sobre a ressurreição de um debate

Lorenzo Macagno

Resumo


No final de 2016, um Requerimento emitido por membros de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), conhecida como CPI FUNAI-INCRA 2, solicitou a quebra de sigilo bancário e fiscal da Associação Brasileira de Antropologia (ABA), bem como do seu presidente. Para fundamentar as acusações contra a ABA, o Requerimento citou, em uma de suas passagens, argumentos de Napoleon A. Chagnon, dentre os quais a afirmação de que os antropólogos brasileiros não fazem ciência, mas ativismo. Chagnon foi um dos poucos antropólogos a adotar os postulados da chamada sociobiologia. Com a evocação do nome de Chagnon, o Requerimento da CPI estava, involuntariamente, “ressuscitando” um debate moribundo: antropologia versus sociobiologia. A partir do cenário acusatório montado pela CPI FUNAI-INCRA 2, este artigo retoma aquela controvérsia fundamental que, desde a década de 1970, dividiu antropólogos e sociobiólogos.

Palavras-chave


Sociobiologia, CPI-FUNAI-INCRA 2, Napoleon A. Chagnon, Associação Brasileira de Antropologia, controvérsias

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2018.145512

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.