Pioneiros, fundadores e aventureiros – a ocupação de terras em Rondônia

  • Manuela Souza Siqueira Cordeiro Universidade Federal de Roraima
Palavras-chave: Pioneirismo, projetos de colonização, deslocamento, Rondônia

Resumo

Na região de Ariquemes, durante a década de 1970, foram implantados dois projetos de assentamento dirigidos (PADs), como parte da iniciativa de colonização do governo militar. Durante as primeiras incursões ao campo, percebi que muito daquilo que me interessava pesquisar sobre Rondônia confluía para uma identificação específica que caracterizava grande parte daqueles que foram responsáveis pela ocupação das terras no estado: o “pioneiro”. Este artigo tem como objetivo problematizar o uso de categorias posicionais ligadas ao processo de transformação da “floresta” em “terra”, isto é, a terra sem valor comercial para a “terra aberta” e, portanto, agricultável, destacando diferentes períodos. No momento da ocupação das terras, os ocupantes se consideravam “aventureiros”, havendo também desdobramento na categoria circunscrita a um momento histórico posterior, a de “fundador”. Na descrição etnográfica trazida para o texto, a partir de conversas realizadas com seis “pioneiros”, salientarei a diferença no uso das referidas categorias.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-27
Como Citar
Cordeiro, M. (2018). Pioneiros, fundadores e aventureiros – a ocupação de terras em Rondônia. Revista De Antropologia, 61(1), 125-146. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2018.145519
Seção
Artigos