Relações exteriores nas políticas indígenas em São Gabriel da Cachoeira: indigenização da prefeitura e incorporação de alteridades

  • Aline Fonseca Iubel Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Prefeitura indígena, política ameríndia, alteridade, Alto Rio Negro

Resumo

À luz de algumas considerações etnográficas sobre o ethos rionegrino de valorização e incorporação da alteridade, este artigo reflete sobre a avaliação feita pelos próprios índios a respeito da “gestão indígena” na prefeitura de São Gabriel da Cachoeira (AM). O argumento é que, sendo a prefeitura um elemento que implica em relações exteriores ao mundo indígena, a tentativa de indigenizá-la exigiria pelo menos dois procedimentos: a incorporação de relações e “elementos de alteridade”, e a incorporação de índios na prefeitura. Segundo alguns dos envolvidos nessa experiência, a gestão “não teria sido indígena”, pelo excesso de “gente de fora” e por uma certa “contaminação” do prefeito pela “política dos brancos”. Pergunta inescapável, no entanto, é referente ao quanto o próprio Estado suportaria uma dinâmica que implica na simultaneidade de diferenças intrínsecas às relações entre índios na região. A análise sugere que, antes de uma suposta incapacidade indígena para a gestão do Estado, há a incapacidade do Estado em lidar com/incorporar diferenças e alteridades.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-27
Como Citar
Iubel, A. (2018). Relações exteriores nas políticas indígenas em São Gabriel da Cachoeira: indigenização da prefeitura e incorporação de alteridades. Revista De Antropologia, 61(1), 360-380. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2018.145529
Seção
Artigos