Prostituição masculina no Brasil

O panorama da produção teórica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.161075

Palavras-chave:

Prostituição masculina, michês, sexualidade, performance de gênero, panorama teórico

Resumo

Desde 1984, quando surge o primeiro artigo sobre a prostituição masculina no Brasil, outras pesquisas têm explorado a temática no intuito de compreender as vivências de sujeitos que optam por praticar sexo tarifado para complementar sua renda. A partir de um levantamento bibliográfico, o presente estudo encontrou quarenta e cinco produções teóricas sobre prostituição masculina no Brasil. Com as pesquisas catalogadas, foi criado um perfil sociológico do que vem sendo discutido no país. Pretendemos mostrar como esse conhecimento é organizado regionalmente no Brasil em termos de produção. Além disso, apresentaremos as transformações operadas no campo nas últimas três décadas, a partir, por exemplo, da apropriação de diferentes espaços para o desenvolvimento deste “negócio”. Por fim, daremos especial atenção às questões que perpassam sexualidade, raça, profissão e estigmatização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Rodrigues Passamani, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Guilherme Rodrigues Passamani é graduado em Ciências Sociais e História (UFSM). Mestre em Integração Latino-Americana (UFSM). Doutor em Ciências Sociais (UNICAMP). Professor dos Programas de Pós-Graduação em Antropo- logia Social (PPGAS/UFMS) e Estudos Culturais (PPGCult/UFMS) e dos cursos de Ciências Sociais e Audiovisual (UFMS). Coordenador do Núcleo de Estudos Néstor Perlongher – Cidade, Geração e Sexualidade (NENP/UFMS).

Marcelo Victor da Rosa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Marcelo Victor da Rosa é graduado em Licenciatura em Educação Física (UFSC). Mestre em Educação Física (UFSC). Doutor em Educação (UFMS). Professor do Curso de Educação Física (UFMS). Pesquisador do Núcleo de Estudos Néstor Perlongher – Cidade, Geração e Sexualidade (NENP/UFMS).

Tatiana Bezerra de Oliveira Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Tatiana Bezerra de Oliveira Lopes é graduanda em Ciências Sociais (UFMS). Bol- sista PIBICI/CNPq (2016-2017; 2017-2018; 2018-2019). Pesquisadora do Núcleo de Estudos Néstor Perlongher – Cidade, Geração e Sexualidade (NENP/UFMS).

Referências

ABREU, Vinício Brígido Santiago. 2014. Entre o marginal e o laboral: o trabalho de garotos de programa da cidade de Fortaleza. Fortaleza, Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Ceará.

ABREU, Vinício Brígido Santiago. 2013. “Para além do feminino/masculino: a (des)construção do Gênero na prática sexual de garotos de programa”. In: Fazendo Gênero 10: Desafios atuais do Feminismo, 10. Anais Eletrônicos. Florianópolis, 2013. Dispo-nível em: <http://www.fg2013.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/20/1373238058_ARQUIVO_PARAALEMDOFEMININO-MASCULINOA_DES_CONSTRUCAODOGENERONAPRATICASEXUALDE-GAROTOSDEPROGRAMA.pdf.> Acesso em 28 de janeiro de 2018.

ALVES, Alan de Loiola. 2011. “Homens que se prostituem e as diferentes identidades”. In: III Seminário Nacional Gênero e Práticas Culturais: olhares diversos sobre a diferença, 3. João Pessoa. Disponível em: < http://www.itaporanga.net/genero/3/03/05.pdf> Acesso em 29 de março de 2018.

ALVES, Alan de Loiola. 2013. “Políticas de enfrentamento á exploração sexual comercial infanto-juvenil na cidade do Rio de Janeiro: por onde andam os garotos?”. In: Jornada Internacional de Políticas Públicas, VI, 2013, São Luís – Maranhão. Anais... São Luís.

ALCÂNTARA, Jean Moreira. 2009. Territórios invisíveis: territorialidades dos garotos de programa na área central de Manaus. Manaus, Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Amazonas, Manaus.

BARRETO, Letícia Cardoso; SILVEIRA, Cibele Dias da; GROSSI, Miriam Pillar. 2012. “Notas etnográficas sobre prostituição masculina em Florianópolis: entre o trabalho, o afeto e a sexualidade”. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, v. 46, n.2: 511-534.

BARRETO, Victor Hugo de Souza. 2011. “‘Às vezes eu me sinto uma puta da zona!’: A atividade da prostituição vista por garotos de programa”. In: XI Congresso Luso-Afro-Brasileiro De Ciências Sociais, 11. Bahia.

BARRETO, Victor Hugo de Souza. 2012. “Vamos fazer uma sacanagem gostosa?”: Uma etnografia do desejo e das práticas da prostituição masculina carioca. Niterói, Dissertação de mestrado, Universidade Federal Fluminense.

BURBULHAN, Fernanda. 2014. A experiência michê: um estudo fenomenológico. Ribeirão Preto, Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo.

BRAGA, Gibran Teixeira. 2013. “Não sou nem curto”: prazer e conflito no universo do Homoerotismo Virtual. Rio de Janeiro, Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

CARVALHO, Anderson et al. 2013. “Garoto de programa: do gueto aos hotéis de luxo”. Revista Eletrônica da Reunião Anual de Ciência, Uberlândia. v. 3, n. 1.

CHAO, Giselle Fonseca. 2008. Prostituição Masculina, HIV/AIDS: estudo epidemiológico em municípios do Ceará. Fortaleza, Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Ceará.

DEODATO, Eder da Silva. 2015. Performance e identidade de gênero na prostituição masculina em saunas gays.Recife,Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco.

FERREIRA, Daniel Rogers de Souza. 2011. Prazer com segurança? As relações entre michês e polícia num ponto de prostituição do centro de Fortaleza. Fortaleza, Dissertação de mestrado, Universidade Estadual do Ceará.

FRY, Peter. 1982. Para inglês ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro, Zahar Editores.

FRY, Peter; MACRAE, Edward. 1983. O que é homossexualidade. São Paulo, Editora Brasiliense.

GREEN, JamesNaylor. 1999. Além do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo, EDUNESP.

GUIMARÃES, Carmen Dora. 2004. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro, Garamond.

GUIRALDELLI, Reginaldo; SOUZA, Marisa Fernandes de. 2013. “Prostituição masculina em Belo Horizonte: Evidências da questão social”. Oikos: Revista Brasileira de Economia Doméstica, Viçosa, v. 24, n.2: 133-162

KIMMEL, Michael. 1988. “A produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas”. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre. v. 4, n. 9: 103-117.

LAMPERT, Ernani. 2006. “O desmonte da Universidade pública: a interface de uma ideologia”. Revista Linhas (UDESC), v. 7: 10-30.

LIMA, Wagner. 2007. “Ô de casa, ô da rua:território e derivas na prostituição masculina de rua em João Pessoa (PB)”. In: I Seminário Nacional de Gênero e Prática Culturais: desafios Históricos e saberes interdisciplinares, 1, 2007, João Pessoa. Disponível em: http://itaporanga.net/genero/1/GT07/20.pdf. Acesso em 24 de agosto de 2017.

MACHADO, Joani de Nazaré de Campos; SILVA, Silvia Cristina de Souza. 2002. Perfil psicossocial da prostituição masculina em Belém. Belém – PA, Relatório de monografia, Universidade da Amazônia.

MARINHO, Marcela Ferreira; SANTOS, Marcia Maria Cappellano. 2011. “Representaciones sociales del fenómeno turismo sexual: Análisis de notas periodísticas”, Disponível em: <http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S185117322011000500012&lng=es&nrm=iso> Acesso em 28 de janeiro de 2018.

MAROUN, Kalyla; VIEIRA,Valdo. 2008. “Corpo: uma mercadoria na pós-modernidade”. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 14, n. 2: 171-186.

MISKOLCI, Richard 2013 “Machos e Brothers: uma etnografia sobre o armário em relações homoeróticas masculinas criadas online”. Revista Estudos Feministas, v. 21: 301-324.

PASINI, Elisiane. 2005. “Sexo para quase todos:a prostituição feminina na Vila Mimosa”. Cadernos Pagu, Campinas , n. 25, p. 185-216.

PASSAMANI, Guilherme Rodrigues. 2015. Batalha de confete no “Mar de Xarayés”:condutas homossexuais, envelhecimento e regimes de visibilidade. Campinas, Tese de doutorado, Universidade Estadual de Campinas.

PERLONGER, Néstor Osvaldo. 1984. “Amor e Comércio na prostituição viril”. In: IV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 4, 1984, São Paulo. Anais do IV Encontro Nacional de Estudos populacionais, vol. 1, 575-586.

PERLONGER, Néstor Osvaldo.1993. “Antropologia das sociedades complexas: identidade e territorialidade, ou como estava vestida Margaret Mead”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v.8, n.22.

PERLONGER, Néstor Osvaldo.1985. “O contrato da prostituição viril”. Arquivo Brasileiro de Psicologia, Rio de Janeiro.

PERLONGER, Néstor Osvaldo.1987a. negócio do michê: prostituição viril em São Paulo.São Paulo, Editora Brasiliense.

PERLONGER, Néstor Osvaldo. 1987b. “Vicissitudes do michê”. In: Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (org.), Temas IMESC, Sociedade, Direito e Saúde. São Paulo: 57 – 71.

PINEL, Hiran; BRAGIO, Jaqueline; SOBROZA, Marcio. 2013. “Pedagogia social da saúde e dos direitos junto aos trabalhadores masculinos do sexo: resgate sócio-histórico (e da prática pedagógica social) do “programa pegação”, In: Seminário Nacional de Educação, Diversidade Sexual e Direitos Humanos, Espírito Santo.

PINEL, Hiran. 2003. Educadores da Noite: Educação especial de rua, prostituição masculina e prevenção as DST/AIDS. Nuex-PSI Editorial. Belo Horizonte.

PISCITELLI. Adriana. 2002. “Exotismo e autenticidade: relatos de viajantes à procura de sexo”. Cadernos Pagu, Campinas, n.19, p.195-231, 2002.

PISCITELLI. Adriana. 2015. “Turismo sexual no Brasil”. ComCiência. Campinas.

PRADO FILHO, Kleber; TETI, Marcela Moltalvão. 2013. “A cartografia como método para as ciências humanas e sociais”. Revista Barbarói, Santa Cruz do Sul, n.38:45-59.

POCAHY, Fernando. 2012. ““Vem meu menino, deixa eu causar inveja”: ressignificações de si nas transas do sexo tarifado”. Sexualidad, Salud y Sociedad – Revista Latinoamericana, n. 11: 122-154.

RÁBAGO, Nora Leticia Bringas; ALDAMA, Ruth Gaxiola. 2012. “Los espacios de la prostitución en Tijuana: turismo sexual entre varones”. Región y sociedad, Hermosillo, v. 24, n. 55, p. 81-130.

RADDE, Augusto. 2014. Entre prazer e necessidade, o discurso do corpo na prostituição masculina. Porto Alegre, Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

RIBEIRO, Miguel. 1997. “Prostituição de rua e turismo em Copacabana: a Avenida Atlântica e a procura do prazer”.Revista Território, v. 2, n. 3: 87-104.

RIBEIRO, Miguel. 2015. “Dinâmica, Espacialidade e Relações Homocomerciais: o exemplo das saunas de boys na urbe carioca”. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 6 n. 2: 213-234.

ROSA, Marcelo Victor da. 2016. Discursos científicos sobre a homofobia no processo de escolarização: enunciados e problematizações. Campo Grande – MS, Tese de doutorado, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

SANTOS, Daniel Kerry dos. 2016. Homens no mercado do sexo:fluxos, territórios e subjetivações. Florianópolis, Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina.

SANTOS, Élcio Nogueira; PEREIRA, Pedro Paulo Gomes. 2016. “Amores e vapores: sauna, raça e prostituição viril em São Paulo”. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/1805-9584-2016v24n1p133.> Acesso em 28 de janeiro de 2018.

SANTOS, Élcio Nogueira. 2007. “Entre amores e vapores:as representações das masculinidades inscritas nos corpos nas saunas de michês”. In: Congresso Brasileiro de Sociologia, 13. Anais Eletrônicos. Recife.

SANTOS, João Diogenes Ferreira dos. 2013a. “Desvelando o mercado do sexo:trajetória de vida dos “garotos de programas” da cidade de Salvador”. In: Fazendo Gênero 10: Desafios atuais do Feminismo, 10. Anais Eletrônicos. Florianópolis.

SANTOS, Maria Lourdes dos. 2011a. “Esmiuçando vidas de homens prostitutos em Fortaleza”. In: Xv Congresso Brasileiro De Sociologia, 15. Anais Eletrônicos. Curitiba.

SANTOS, Maria Lourdes dos. 2013b. Da batalha na calçada ao circuito do prazer: um estudo sobre prostituição masculina no centro de Fortaleza. Fortaleza, Tese de doutorado, Universidade Federal do Ceará.

SANTOS, Maria Lourdes dos; PAIVA, Antônio2013 “Montagens e desmontagens do corpo-michê:performance de gênero e transição de identidades na prostituição viril”. In: Xv Congresso Brasileiro De Sociologia, 15. Anais Eletrônicos. Curitiba.

SANTOS, Manoel. 2011b. “Prostituição masculina e vulnerabilidade às DSTS/AIDS”. Texto e Contexto, Florianópolis, v. 20 n. 01: 76-84.

SALDANHA, Rafael. 2010. Classificados e o sexo:Anúncios de prostituição masculina em SC(1986 – 2005). Florianópolis, Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina.

SILVA, Ananias. 2015. “Entre dizeres e fazeres, construção identitária de garotos de programas (michês): “Tudo com remédio, senão o pau não sobe””. Memento - Revista de Linguagem, Cultura e Discurso, Três Corações – MG, v. 06, n.2.

SILVA, Carolina Parreiras. 2008. Sexualidades no ponto.com: espaços e homossexualidades a partir de uma comunidade on-line. Campinas, Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Campinas.

SILVA, Clara Cavalcante. 2012. O negócio do “prazer remunerado” nos discursos de garotos que fazem programa. São Paulo, Tese de doutorado, Universidade de São Paulo.

SILVA, José Fábio Barbosa. 1959. “Aspectos sociológicos do homossexualismo em São Paulo”. Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, São Paulo, v. 11, n. 4: 350- 360.

SILVA, José Maurício da. 2011a. “Prostituição masculina: um destino pulsional?” Polêm!ca– Revista Eletrônica, Rio de Janeiro, v.10, n. 1: 161 -181.

SILVA, Laura Almeida de Calasans. 2011b. “Prostituição e (des) construção da imagem dos espaços turísticos da orla de Atalaia – SE”. São Cristóvão – SE, Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Sergipe.

SPIVAK, Gayatri. 2010. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte, Editora UFMG.

SOUZA NETO, Epitacio Nunes de. 2009. Entre boys e frangos:Uma análise das performances de gênero dos homens que se prostituem no Recife. Recife, Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco.

SOUZA NETO, Epitacio Nunes de. 2010. “Quem come é quem engole: a subjetividade na construção das performances de gênero entre os boys de programa de Recife”. In: Fazendo Gênero, 9. Florianópolis. Disponível em: <http://www.fazendogenero.ufsc.br/9/resources/anais/1277817374_ARQUIVO_QUEMCOMEEQUEMENGOLE.pdf> Acesso em 28 de janeiro de 2018

TEIXEIRA, Alexandre Eustáquio. 2003. Territórios homoeróticos em Belo Horizonte: um estudo sobre as interações sociais nos espaços urbanos. Belo Horizonte, Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

TEIXEIRA, Alexandre Eustáquio. 2011. “Representação sobre a atividade de garotos de programa em Belo Horizonte (MG): emprego, trabalho ou profissão?” In: XI Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, 11. Bahia.

VEGA, Alexandre Paulino. 2008. Estilo e marcadores sociais da diferença em contexto urbano: Uma análise da desconstrução das diferenças entre jovens em São Paulo. São Paulo, Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo.

VIANA, Normando José Queiroz. 2010. “É tudo psicológico dinheiro... pruuu! fica logo duro”:desejo, excitação e prazer entre boys de programa com práticas homossexuais em Recife. Recife, Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco.Recebido em 7 de abril de 2018. Aceito em 30 de abril de 2019.

Downloads

Publicado

2019-09-17

Como Citar

Passamani, G. R., Rosa, M. V. da, & Lopes, T. B. de O. (2019). Prostituição masculina no Brasil: O panorama da produção teórica. Revista De Antropologia, 62(2), 432 - 458. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.161075

Edição

Seção

Artigos