Medicina Anti-aging no Brasil

Controvérsias e a noção de pessoa no processo de envelhecimento

Palavras-chave: Envelhecimento, noção de pessoa, corpo, envelhecimento ativo, medicina Anti-aging

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar a noção de pessoa no processo de envelhecimento. Por meio de um estudo sobre as controvérsias do desenvolvimento da Medicina Anti-aging no Brasil, o artigo explora as mudanças nas representações sobre o envelhecimento, considerando as transformações da abordagem médico-científica e a emergência do conceito de “envelhecimento ativo” como paradigma. A análise destaca as perspectivas divergentes sobre o envelhecimento observadas na pesquisa realizada com médicos praticantes da Medicina Anti-aging e médicos opositores, representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM). O texto tem como foco a relação entre a dimensão físico-biológica de envelhecer e a constituição moral da pessoa ao longo do ciclo de vida, ressaltando o conflito entre o declínio físico presumido e a noção de pessoa ocidental constituída na modernidade.    

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-09-17
Como Citar
Rougemont, F. (2019). Medicina Anti-aging no Brasil. Revista De Antropologia, 62(2), 403 - 431. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.161077
Seção
Artigos