O Brasil de Montaigne

Autores

  • Frank Lestringant Universidde de Paris IV - Sorbonne

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0034-77012006000200001

Palavras-chave:

Montaigne, ameríndios, declamação, primitivismo, Tupinambá, Bom Selvagem, relativismo cultural, filosofia da história

Resumo

Este artigo propõe uma nova leitura dos célebres ensaios dedicados por Montaigne à América e a seus povos, inicialmente à luz da forma retórica da declamação, neles adotada. A comparação entre os Ensaios "americanos" permite ainda evidenciar o lugar privilegiado do Brasil, e de seus Canibais, na reflexão de Montaigne acerca do Novo Mundo, e a composição de uma imagem de todos os seus povos como ao mesmo tempo conformada ao modelo edênico dos Tupinambá e elevada à dignidade dos grandes homens da Antiguidade - "tupinambizada" e "romanizada".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-01-01

Como Citar

Lestringant, F. (2006). O Brasil de Montaigne . Revista De Antropologia, 49(2), 515-556. https://doi.org/10.1590/S0034-77012006000200001

Edição

Seção

Artigos