Periferias, direito e diferença: notas de uma etnografia urbana

  • Gabriel de Santis Feltran Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: periferia urbana, etnografia, direito, diferença, violência.

Resumo

Este artigo descreve e analisa as transformações da questão – analítica, teórica e política – das periferias urbanas, no Brasil contemporâneo. Enfocando o percurso de transformações no projeto de mobilidade dos “trabalhadores” que colonizaram as margens da cidade de São Paulo nas últimas quatro décadas, argumento que o conflito que se funda nesses territórios de fronteira mudou de estatuto. Se nos anos 1980 esse conflito pôde ser pautado publicamente na perspectiva de integração das periferias “trabalhadoras”, pela aposta na extensão dos direitos da cidadania como contrapartida social do assalariamento, agora se trata sobretudo de gerenciar o conflito – não raro muito violento – que sustenta a figuração pública desses territórios “marginais”. Com base em situações etnográficas, discuto algumas das consequências sociais, políticas e analíticas dessa transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel de Santis Feltran, Universidade Federal de São Carlos
Professor do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), pesquisador do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) e do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com estágio doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS). Atualmente pesquisa as transformações nas dinâmicas sociais e políticas das periferias urbanas, com foco nas ações coletivas, grupos marginalizados e no "mundo do crime" em São Paulo. Coordenador do NaMargem - Núcleo de Pesquisas Urbanas.
Publicado
2012-08-10
Como Citar
Feltran, G. (2012). Periferias, direito e diferença: notas de uma etnografia urbana. Revista De Antropologia, 53(2). https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2010.37711
Seção
Artigos